O que realmente importa...

Minha foto
São Paulo, Brazil
Cheguei ao final do ano de 2009 totalmente estressada e esgotada devido as preocupações do dia-a-dia, com trabalho, estudo, e etc. Na verdade, eu não tinha nenhum problema específico. Apenas, era pessoa ansiosa e preocupada demais com o dia de amanhã. Mas como está na palavra de Deus: "...basta a cada dia o seu mal". Eu precisei passar por um sofrimento muito grande, pra enxergar que na verdade, as minhas preocupações, as minhas ansiedades não mereciam as noites de sono mal dormidas, a depressão que estava querendo tomar conta de mim! Sem querer negligenciar todo resto, eu aprendi que nada nesta vida tem realmente importância, a não ser, a vida daqueles que amamos...estes sim, são o que realmente têm importância em nossa vida... Eu tenho uma filha e um marido maravilhosos, que eu Amo, e que são bençãos que Deus me deu! Eu tenho familiares maravilhosos que eu Amo muito... E tenho amigos maravilhosos que amo muito também...Enfim, tanto pra agradecer ao Senhor! Mas só depois que eu perdi a minha amada sobrinha Júlia, foi que tive a real dimensão da importância de todos eles em minha vida! Todos eles são o que realmente importa pra mim! Todo o restante é secundário...07/2010

Seguidores

domingo, 18 de julho de 2021

Os "invernos" de nossas vidas...

  

Hoje estava me lembrando de um texto, que eu escrevi em 2012... Sobre o inverno.

No momento estamos todos passando pelo inverno, nos sentidos - literal e figurado, da palavra!

Estamos na estação mais fria do ano. Mas também passamos por um "grande e rigoroso inverno" - que é essa pandemia!

Que Deus nos dê força, fé e ânimo para superarmos, esperarmos e esperançarmos todos os dias, até que esse "inverno" tenha fim! 🙏

 

Os invernos de nossas vidas...

(Texto escrito em 2012)

Hoje acordei pensando nas estações do ano. E como me sinto a cada inverno...

É engraçado, mas invariavelmente a cada final de inverno, eu sinto como se minhas forças estivessem quase se extinguindo.

Creio que sou movida à energia solar! E todo inverno, eu acabo perdendo um pouco de minhas forças...

É a estação do ano em que a luz solar diminui, os dias às vezes são cinzentos e a temperatura esfria.

Pois a minha alma no inverno, sente a falta de calor, assim como meu corpo...

Chego ao final de cada inverno, cansada, com a imunidade baixa e meio tristonha. Tento me animar, reagir, mas todo ano é assim...

O inverno - creio que inconscientemente - me remete aos momentos difíceis e tristes por que passei nessa vida!

O curioso, é que na maioria das vezes, estes momentos ocorreram na estação mais quente do ano, o verão.

Só que pra mim, era como se todos aqueles dias fossem cinzentos e frios...

No entanto, o bom dessa vida é que tudo está sempre se renovando!

Depois de cada inverno, a primavera chega com suas flores, sua luz e seu calor... E aí o desânimo, o cansaço e a tristeza vão embora. Vou sentindo aos poucos, minhas forças sendo renovadas!

O sol vai brilhando um pouco mais a cada dia, assim como minha alma...

Penso que talvez, se não existissem os “invernos” em nossas vidas, as nossas “primaveras”, “verões” e "outonos” não seriam tão encantadores, tão estimulantes e tão abençoados!

Obrigada Senhor, por cada estação do ano, e por cada “estação” de minha vida!

 

“Mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão.”            Isaías 40:31.


terça-feira, 29 de junho de 2021

Crônicas da quarentena...XII

             


        Já faz algum tempo que não escrevo as minhas crônicas da quarentena...

Tenho sentido um certo desânimo ao falar sobre o assunto, pois depois de 470 dias de quarentena -  ou 1 ano, 3 meses e 13 dias, as coisas não melhoraram!

Pelo contrário: apesar da chegada da vacina, temos nos deparado com mais mortes, e casos graves – justamente nos grupos mais jovens da população!

As semanas começam e terminam contabilizando mortes, e muitas vezes, de pessoas conhecidas.

Na semana passada, mal me recuperei do baque – ao saber da morte do sobrinho de uma vizinha - e já tomei conhecimento da morte de outro conhecido: um líder sindical (creio que mais jovem que eu), que conheço desde a época em que eu trabalhei no banco.

Essas duas mortes me deixaram chocada! Com aquela espécie de “nó no estômago", e um sentimento de impotência!         

Hoje estou aqui - escrevendo a minha decima segunda crônica da quarentena...

As fases mudam, de laranja para vermelha e vice versa, mas desde que tudo começou, está difícil uma melhora efetiva da situação!

A meu ver, a situação em que estamos se deve ao descaso das autoridades, na  condução da pandemia! O descaso, dos que deveriam ser os primeiros à dar exemplo aos demais!

E a população também não ajuda - as aglomerações continuam, aliadas à falta de consciência das pessoas, que ainda teimam em sair sem máscaras! Todo fim de semana, podemos ver nos noticiários,  o flagrante de festas clandestinas. Pessoas comemorando "sabe-se lá,  o quê"! Como se não houvesse amanhã...

A vacina chegou já há algum tempo. Eu e minha família, já estamos quase todos vacinados. Dou glórias a Deus por isso! E não vejo a hora da vacina ser aprovada, também, para as crianças!

No entanto, não conseguimos comemorar essas bênçãos plenamente, frente à tantas mortes que ocorrem todos os dias!

No sábado retrasado, o Brasil bateu a triste marca de mais de 500.000 mortos!

É muita tristeza... São muitas famílias sofrendo!

No início da pandemia, os mais suscetíveis eram os idosos. Porém, com o avanço da pandemia, e ao contrário do que alguns pensavam- ao invés de se atingir a "imunidade de rebanho" - o vírus foi sofrendo mutações, e se tornando cada vez mais forte e contagioso.

À cada dia, nos deparamos com novas cepas e variantes. E com as vidas - de uma população cada vez mais jovem - sendo ceifadas por essa doença!

Estamos vivendo tempos sombrios... Tempos de uma verdadeira “guerra”! E é preciso muita força e fé em Deus!

Lutamos não só contra o vírus – mas, lutamos à cada dia, para nos mantermos firmes, nos mantermos em pé - para não sucumbirmos ao desânimo, à tristeza e à depressão!

Eu me apego à Palavra de Deus, a Jesus – orando todos os dias para que essa pandemia tenha fim! E assim eu sigo, dia após dia...

 “Não fui eu que lhe ordenei? Seja forte e corajoso! Não se apavore, nem se desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar”                                                                      Josué 1.9                      

segunda-feira, 31 de maio de 2021

Serena...♡


A nossa "guerreirinha" partiu...😢

Mais de 16 anos de Amor...💖

Era ciumenta! Mas amou cada uma das crianças  aqui de casa!

Leal, companheira, valente! Nos deu muitos anos de alegria...💖 

Agora, a nossa Serena descansou...Saudades...💔🐶🐾

"Eles já nascem sabendo amar,  de uma maneira,  que nós levamos a vida inteira pra aprender!"❤💗

terça-feira, 25 de maio de 2021

E assim... Deus escreve outra linda história...❤

        Hoje, no dia Nacional da Adoção vou relembrar uma história muito linda, que Deus começou a escrever em 2017, num barco à caminho de Galinhos...

Há algumas semanas atrás, o Pedro entrou na cozinha e me pegou chorando, emocionada...  E me questionou o porquê!

Expliquei a ele, que aquele choro era de alegria... Que os nossos amigos lá de Natal tinham recebido a tão sonhada ligação da assistente social, e que logo eles iriam conhecer suas duas filhas!

Sim! Para a surpresa deles – eram duas irmãs! Receberam o telefonema, em plena pandemia!

Esses amigos, nós fizemos numa viagem para Natal. Num passeio de barco, à caminho da cidade de Galinhos. E resumindo a história, eles decidiram adotar, depois de nos conhecermos, de conhecerem o Pedro e o amor que existe entre a nossa família!

Esperaram por quatro anos...

Hoje, eles estão no período de aproximação com as meninas. Com a pandemia, está tudo muito lento, mas o processo está caminhando.

Esse amigo me escreveu logo que recebeu a ligação. Ele e a esposa já tinham visto as fotos das meninas. Mas estavam inseguros, temerosos de que elas pudessem não gostar deles. A mais velha tem 5 anos e a mais nova 1 ano e meio. Mas como acontece com tantas histórias de Amor que Deus escreve - no dia em que se encontraram por vídeo chamada, a mais velha já os chamou de papai e mamãe. E o Amor “brotou” ali, naquele encontro à distância...

Então veio a ansiedade pelo encontro presencial, que demorou um pouquinho para acontecer! Eu imagino como devem ter se sentido! 

Porém, depois de alguns dias, o encontro aconteceu. E foi  um encontro repleto de Amor. Amor represado por tantos anos de espera!  Por aqueles quatro longos anos em que esperaram por suas filhas... E enfim, elas estavam ali, à distância de um abraço, um colo, um cheiro, um beijo...

Hoje eles aguardam ansiosos, que elas logo possam ir para casa! O quartinho está preparado, com uma parede rosa – que segundo o meu amigo – ele quase pintou quando mudou...Mas não pintou,  era pra essa parede ser rosa! 😂

Naquele encontro, naquele dia lá no abrigo - nasceram um pai, uma mãe e duas filhas... A adoção é assim: famílias que nascem do Amor! É algo mágico, é de Deus...

E me sinto extremamente feliz: pois através da nossa história, que eu sempre contei e recontei com muito orgulho – um casal se sentiu seguro em se abrir para esse amor incondicional, que é a adoção!

E então, me lembrei de um comentário de um outro amigo:

“[...]Quando, num instante qualquer do futuro, alguém topar com seu trabalho e nele se inspirar à concretizar uma adoção - mesmo que isso aconteça uma única vez -, terá recuperado uma vida incerta para o caminho de uma família; e apenas por esta vez, todo seu trabalho terá valido a pena!”.

Eu amo ser Mãe do Coração, Amo escrever sobre Adoção e Amo conhecer histórias de Adoção! Histórias essas - singulares! Pois Deus escreve cada uma -  de uma maneira diferente. 

Porém, em todas elas, existe o Amor incondicional e pessoas  livres de amarras e preconceitos - dispostas à se entregar a um Amor sem reservas, e experimentar da bênção que é a Adoção!

Segue abaixo, a história que escrevi julho de 2018, onde conto como tudo começou:

 E assim, Deus está escrevendo uma outra história...❤  (30/07/2018) 

Estávamos em um barco à caminho da cidade de Galinhos/RN, quando o Pedro com seu jeito comunicativo -  já tinha feito amizade durante os passeios anteriores, com um casal e amiga deles.

E saiu logo falando e perguntando:

- Meu pai tem quarenta e três anos, minha mãe cinquenta e dois,  e eu tenho seis. Quantos anos vocês têm? 

Chamei a atenção dele - explicando que não se pergunta a idade das pessoas.

Porém, a nossa idade ele conta pra todo mundo! 😂

Então começou uma amizade que perdura até hoje!

E ela me perguntou toda animada:

- Nossa! Então você teve ele aos quarenta e seis anos? Como foi a gravidez?

Respondi-lhe que não tinha engravidado, pois ele é  nosso filho do coração...

Ela ficou toda animada e disse-me que estava tentando engravidar há mais de quinze anos. Que eles tinham assistido até à algumas palestras. Mas apesar de seu marido querer muito, ela ainda não estava segura da decisão.

E os dois me disseram que estavam encantados com jeitinho do Pedro!

Que queriam marcar em algum dos dias da viagem, um jantar em algum restaurante, para comermos juntos e conversarmos mais detalhadamente sobre a nossa história.

Passei o endereço do meu blog com a história da chegada do Pedro para que ela pudesse ler: Uma história de Amor escrita por Deus...

Uns dois dias depois, nos encontramos em uma churrascaria. Foi uma noite bem agradável!

E ela me disse que ao ler a história do Pedro e o fato de nos conhecer pessoalmente – porque até então, ela nunca tinha visto uma história de adoção, assim de perto - a deixou mais segura! E que iria pensar seriamente na decisão!

Ao voltarmos da viagem começamos a manter contato pelo Facebook e Whatsapp.

Há algum tempo atrás recebi a notícia de que eles iriam se inscrever no Fórum de sua cidade, dando início assim, ao processo de adoção.

Nossa! Como fiquei feliz por eles!!  E pelo filho(a) que vai chegar! Fiquei emocionada com a notícia! 

Eu amo falar sobre a nossa história!  Nunca quis que fosse um tabu. Falamos com nosso filho desde muito pequeninho...

Hoje ele tem sete anos e sabe que nasceu em nossos corações...

E fico muito feliz em saber que através da nossa história – incentivamos outros casais à adotar.

Alguns dias atrás me contaram que já iam passar pela entrevista com a psicóloga e assistente social! Mais uma boa notícia!

E o que eu desejo de coração a eles – é que Deus escreva uma linda história de Amor, como escreveu em nossas vidas!

Pode ser que em algum lugar seu filho(a) já os esteja esperando... 

E o desenrolar dessa história, me aquece o coração...

Felicidades meus amigos! 

Saibam que apesar da distância, vocês moram em nossos corações!

E o que realmente importa na chegada de um filho...é o Amor!  

“Não habitou meu ventre, mas mergulhou nas entranhas da minha alma. 

Não foi plasmado do meu sangue, mas alimenta-se no néctar de meus sonhos. Não é fruto de minha hereditariedade, mas moldar-se-á no valor de meu caráter. 
Se não nasceu de mim, certamente nasceu para mim”.

sábado, 8 de maio de 2021

Ser mãe...♥

Mãe de Barriga, Mãe de coração, Mãe de vida ou de consideração...

Mãe de “anjo”, que pra sempre será mãe... 

Mãe é Mãe, com os mesmos medos...Ansiedades...cuidados....

E principalmente com o mesmo amor ... incondicional e eterno!”  

Que Deus abençoe todas as Mães! E todas as Avós, também!

         Essa é compilação de alguns textos que escrevi há alguns anos atrás, sobre a emoção de ser Mãe!

E de lá pra cá - experimento também a emoção de ser Avó: que é uma outra espécie de Amor ... tão incondicional e grandioso quanto o Amor de Mãe!

...

Comecei a refletir nesses últimos dias: de todas as minhas realizações como mulher – para mim - creio que ser Mãe é a mais importante e sublime de todas!

É claro que além de ser mãe, desempenho muitos outros papéis!

Porém, de tudo que já fiz e realizei na vida - a maternidade é o que mais me completa, e o que mais me realiza como mulher!  

Quando me tornei mãe da minha filha mais velha, eu era muito nova: tinha apenas vinte anos. Nossa! Pela inexperiência e pouca idade, errei muito tentando acertar! Mas em meio a todos os meus erros e acertos, creio que fui e sou, uma boa mãe para a minha filha. 

Quando me tornei mãe do meu caçula -  ocorreu exatamente o contrário: tornei-me mãe na maturidade, com quarenta e seis anos. Com a idade, tornamo-nos mais sábias e pacientes. Às vezes tenho que me policiar para não ser permissiva demais.  Mãe na maturidade acaba se tornando uma espécie de “avó do próprio filho”!  Mas creio que apesar das minhas limitações, sou uma boa mãe para o meu filho também!

Ser Mãe é viver em um constante conflito de sentimentos:

Às vezes um Amor tão grande, verdadeiro e profundo que chega a doer no peito!

Noutras vezes, um esgotamento tão grande, que a vontade que se tem, é de fugir pra bem longe... Mas a vontade vem e vai com a mesma rapidez! Porque é só olharmos para aquelas criaturinhas arteiras - mas totalmente indefesas quando estão dormindo - e o nosso coração se derrete de tanto Amor!! 

         Ser Mãe é sentir a dor de cada vacina, de cada injeção. É ficar agoniada ao ver o filho(a) doente, com febre. E desejar estar ali, sofrendo no seu lugar!

Ser Mãe é estar sempre reclamando: que o filho(a) não para quieto! Que não aguenta mais tanta bagunça, tanta malcriação! Porém, quase no mesmo instante, dar graças a Deus por tudo isso -  pela saúde e vitalidade dos filhos e filha

         Ser Mãe é nunca mais ter sossego, e muitas e muitas vezes dizer:   

         - Ah! Não vejo a hora que esse(a) menino(a) cresça para não me dar mais trabalho!

Os filhos crescem, sim. Mas mãe que é mãe, nunca para de se preocupar... Mesmo que o filho(a) não dê mais “trabalho”!  

         Ser Mãe é viver em constante estado de contradição! Muitas vezes se sentir a pior mãe do mundo... Noutras vezes, a melhor!  Deve ser por isso que existe aquele ditado: “Ser mãe é padecer no paraíso”! 

Eu agradeço a Deus pelo privilégio de ser Mãe! E posso falar por experiência de causa, que qualquer mulher pode experimentar essa maravilhosa e bendita experiência!  

Sou mãe biológica e do coração.

Amo meus dois filhos com a mesma intensidade! Não existe diferença nenhuma no Amor que sinto por ambos!

E sabem por quê? Porque os filhos podem chegar de várias maneiras... Mas todos nascem no coração!    

A única coisa que é imprescindível ter, para ser Mãe... é Amor! É ter a capacidade de Amar e se entregar...

E é uma bênção que Deus concede a todas as mulheres!! Basta querer e se entregar incondicionalmente a esse Amor... 

          Amo vocês meus filhos: Natália e Pedro Olavo!

E sou uma pessoa melhor, pelo simples fato de ser mãe de vocês! 

domingo, 4 de abril de 2021

Feliz Páscoa!!💝😇💖❣💞


"Páscoa... 

Ressurreição do sorriso...  Ressurreição da alegria de viver... 

Ressurreição do amor...  Ressurreição da amizade... 

Ressurreição da vontade de ser feliz.

Ressurreição dos sonhos, das lembranças e de uma verdade que está acima dos ovos de chocolate ou até dos coelhinhos: 

Cristo morreu, mas ressuscitou e fez isso somente para nos ensinar a matar os nossos piores defeitos e ressuscitar as maiores virtudes do íntimo de nossos corações.

Que esta seja a verdade da sua Páscoa!"🙏

D.A.

"Porque ELE vive - posso crer no amanhã!" 😇

Que a ressurreição de Jesus desperte em nossos corações a Esperança - de que dias melhores virão...🙏💝

Feliz Páscoa!!💝😇💖❣💞

sábado, 27 de março de 2021

Crônicas da quarentena... XI

            Na semana passada completamos 1 ano de quarentena - hoje faz 376 dias.

Essa é a minha décima primeira crônica: um relato que expressa um pouco do desespero e impotência, que tenho sentido...

Aqui em minha região estamos na fase roxa: uma fase que eu nem sabia que existia, até há pouco tempo... 

É uma fase emergencial, com uma série de restrições, para tentar conter a alastramento do vírus.  Na capital e em algumas outras cidades, alguns feriados foram antecipados e tudo vai parar por 10 dias, para tentar achatar a curva de contágio. Por sua vez - barreiras sanitárias foram criadas nas cidades turísticas ou em outras em que o feriado não foi decretado, para barrar a chegada de turistas!

A vacinação começou no início do ano em todo o país, mas ainda está lenta... E talvez devido à essa lentidão, até agora os esforços em conter o vírus não surtiram efeito.

O Brasil é o epicentro da pandemia mundial! Temos batido tristes marcas, desde a semana passada.  Ontem o Brasil registrou:

-  3.650 mortes num único dia;

- Mais de 1.000 mortes diárias no estado de São Paulo;

- Um total de mais de 300.000 mortos em todo o país!

Em minha cidade, que tem uma população de aproximadamente 256.000 pessoas, o número de óbitos ultrapassou 400.

 E somando-se a lentidão da vacinação, temos a falta de consciência e amor ao próximo (ou de amor à própria vida) de uma parcela da população: os “negacionistas”.

 É triste...  Chega até ser espantoso - que mesmo frente à todas essas mortes, e inúmeros casos da doença - essas pessoas simplesmente negam a existência do problema, fingindo que nada está acontecendo!

Algumas pessoas, ainda teimam em andar sem máscaras pelas ruas...  

Podemos ver crianças correndo e brincando pelas ruas, pelos parques - sem máscaras... E a grande ironia de tudo isso é que as aulas foram suspensas na maioria das escolas, para a segurança dessas mesmas crianças. Mas alguns pais agem, como se os filhos fossem imunes ao vírus. Ou, como se não fossem capazes de transmiti-lo!

Penso que algumas pessoas se acostumaram ao caos. Todas essas mortes tornaram-se banais,  algo corriqueiro...  São incapazes de sentir empatia, frente à dor alheia... E infelizmente, passam esse mesmo pensamento equivocado aos seus filhos...

Por outro lado:  talvez não enxerguem que agindo com tamanha irresponsabilidade - estejam brincando com suas próprias vidas, numa espécie de "roleta russa"...

Frente a tanto descaso – o que sinto é um misto de revolta, desânimo e tristeza!

Quem tem o mínimo de consciência e empatia, tem sofrido muito com toda essa situação! O medo tem tomado conta dos nossos dias e de nossas noites... Dormimos com medo e acordamos com medo!

Ao mesmo tempo em que vislumbramos e ansiamos por dias melhores - de repente, bate o desespero! Tantas mortes, tantas pessoas sofrendo, pelo país afora – abalam qualquer estrutura!

Todos os dias, ao acessar minhas redes sociais, me deparo com o luto de inúmeras pessoas! A impressão que tenho – é a de que tudo vai "desabar", que não tem mais jeito...

Sentimo-nos impotentes, como uma nau à deriva... Creio que nunca, nos sentimos tão inseguros quando ao nosso o futuro!

Entretanto, a busca pela cura não para! Ontem tivemos uma boa notícia: o Instituto Butantan produziu a primeira vacina nacional. Que venham mais vacinas!

E já que estou falando em vacinas, não poderia deixar de registrar: por incrível que pareça, já ocorreram vacinações falsas (as vacinas de vento - em que o liquido não é aplicado).   Houveram assaltos  à mão armada em postos de saúde;  e vacinação ilegal, na calada da noite... O ser humano se supera, quando quer ser vil e abjeto!

Todavia, não devemos perder a fé.... Eu converso com Deus todos os dias, em minhas orações. Peço a Jesus que nos guarde desse vírus. E que a cura chegue - que as vacinas cheguem para todos!

Façamos a nossa parte - que é  a de continuar tomando os devidos cuidados:  usando máscaras e mantendo o distanciamento social. Tudo isso custa tão pouco... E pode salvar tantas vidas!

Peço também a Deus, que dê discernimento aos que negam o problema. Que acordem à tempo: que se cuidem, cuidem de suas crianças e cuidem dos seus. E respeitem ao próximo!

E acima de tudo: que Deus tenha misericórdia de todos nós! Nos fortaleça com muito ânimo, fé e esperança!

Esperança de que dias melhores virão...

domingo, 7 de março de 2021

Crônicas da quarentena...X

          E aqui estou eu - escrevendo mais uma crônica da quarentena... a décima! Seria a décima segunda, se eu tivesse escrito uma por mês...

Já faz quase 1 ano, ou 357 dias... que estamos de quarentena. Ou melhor: aqui em minha região completaremos 1 ano, no dia 16/03/2021.

Quisera eu - poder escrever sobre boas novas... Voltamos à fase vermelha, com o fechamento do comércio, e restrição de circulação no horário noturno.

Na verdade, apesar da chegada da vacina, a situação piorou muito desde que escrevi a última... Piorou, devido à falta de consciência de grande parte da população, que simplesmente ignora a existência do vírus: não usando máscaras e promovendo aglomerações!

É tudo muito triste... Todos os dias, ao acessar minhas redes sociais, me deparo com o luto de amigos e pessoas conhecidas... Hoje me deparei com mais um: prestei minhas condolências a um conhecido, pela perda de um amigo - que se foi, devido à Covid.

Ao olhar mais atentamente para a foto, pude constatar que se tratava de um conhecido meu! Um rapaz super gente boa! Talvez um pouco mais velho que eu. E com quem eu conversava no ônibus, que me trazia de volta do trabalho, no aeroporto de Viracopos...

Quantas vezes conversei com ele, durante o trajeto do ônibus?

Descíamos no mesmo ponto. Eu, perto da minha casa. E ele atravessava a avenida para esperar outro circular, que o levaria para a cidade vizinha.

Ao me deparar com sua morte, fiquei perplexa: meu estômago revirou, senti-me triste e abalada, com a notícia...

Todos os dias, nesse último ano tenho me deparado com essas mortes. E é preciso ser forte, para que tudo isso não abale o nosso psicológico...

Alguns, acham mais fácil fugir do problema - "fingindo" que nada está acontecendo. Tornam-se alheios a tudo o que está acontecendo ao redor...

Outros, no outro extremo - sentem-se deprimidos e abalados com a situação. E se enclausuram completamente.

É preciso buscar o equilíbrio para prosseguir, nestes dias tão difíceis!

Hoje me senti muito triste... Porém, o que me deixa extremamente triste também - é constatar a falta de consciência de algumas pessoas. Que negam a gravidade da situação, e mostram sua rebeldia quando se negam à usar máscaras - arriscando suas vidas e a de seu próximo. É muito triste presenciar tantas aglomerações: festas, "baladas", pessoas comemorando sabe-se lá, o quê - como se não "houvesse amanhã"...

E muitas vezes, a tristeza dá lugar à revolta: ao ver o descaso de autoridades, que deveriam ser exemplo para a população!

Indignação - quando meu filho vem me contar, que lhe disseram para tirar a máscara para andar de bicicleta, porque segundo a pessoa, "faz mal andar de máscara” ...

Mal - faz a falta de consciência das pessoas! Se todos fizessem a parte que lhes cabe, eu creio que esse vírus já teria sido erradicado!

As vacinas estão aí, para imunizar a população. Mas só surtirão efeito, quando todos se conscientizarem. Aí sim, esse vírus será exterminado!

Tudo isso que está acontecendo, nos angustia, dá uma espécie de "nó no estômago"...

A sensação ao acordar - todos os dias - é a de estar sobrevivendo...

Para mensurar: a sensação é de estar vivendo meio à uma "guerra", onde todos os dias, alguns "tombam" em combate...

Que sejamos mais solidários e conscientes!

Que nos preocupemos com o bem-estar do nosso próximo! Pois "homem nenhum é uma ilha"...

Que Deus nos ajude à passar - à sobreviver - a tudo isso! E que um dia, esses dias tão difíceis - fiquem apenas em nossas lembranças...

E hoje, ao me deparar com a morte desse conhecido, e ao escutar que "estava exagerando, que não posso me abalar assim..." Me lembrei de um trecho de um livro que li, em minha adolescência - *Por quem os sinos dobram?*

Segue:

"Nenhum homem é uma ilha isolada; cada homem é uma partícula do continente, uma parte da terra; se um torrão é arrastado para o mar, a Europa fica diminuída, como se fosse um promontório, como se fosse a casa dos teus amigos ou a tua própria; a morte de qualquer homem diminui-me, porque sou parte do gênero humano. E por isso não perguntes por quem os sinos dobram; eles dobram por ti."

                                                                                                                                         John Donne