O que realmente importa...

Minha foto
São Paulo, Brazil
Cheguei ao final do ano de 2009 totalmente estressada e esgotada devido as preocupações do dia-a-dia, com trabalho, estudo, e etc. Na verdade, eu não tinha nenhum problema específico. Apenas, era pessoa ansiosa e preocupada demais com o dia de amanhã. Mas como está na palavra de Deus: "...basta a cada dia o seu mal". Eu precisei passar por um sofrimento muito grande, pra enxergar que na verdade, as minhas preocupações, as minhas ansiedades não mereciam as noites de sono mal dormidas, a depressão que estava querendo tomar conta de mim! Sem querer negligenciar todo resto, eu aprendi que nada nesta vida tem realmente importância, a não ser, a vida daqueles que amamos...estes sim, são o que realmente têm importância em nossa vida... Eu tenho uma filha e um marido maravilhosos, que eu Amo, e que são bençãos que Deus me deu! Eu tenho familiares maravilhosos que eu Amo muito... E tenho amigos maravilhosos que amo muito também...Enfim, tanto pra agradecer ao Senhor! Mas só depois que eu perdi a minha amada sobrinha Júlia, foi que tive a real dimensão da importância de todos eles em minha vida! Todos eles são o que realmente importa pra mim! Todo o restante é secundário...07/2010

Seguidores

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

A poesia e a vida...❤

São Pedro/SP - Foto: By Adelisa
Para enxergarmos o lado poético da vida, não precisamos ir muito longe!
Basta que atentemos às coisas simples e corriqueiras, do nosso cotidiano. E que no entanto - na maioria das vezes -, nos passam desapercebidas; devido ao corre e corre, do nosso dia a dia!
Podemos ver poesia, no milagre de cada amanhecer!
Podemos ver poesia, nas brincadeiras das crianças... No olhar amoroso de um filho ou de um neto!
Eu vejo poesia no amor: na capacidade que temos de amar e de sermos amados...
Eu vejo poesia na comunhão das reuniões de família, ou de amigos.
Eu vejo poesia nos gestos de carinho e nos sentimentos genuínos.
Eu vejo poesia ao olhar para o mar: ao sentir o ir e vir de suas ondas... Ao sentir a areia debaixo dos meus pés... Eu consigo sentir poesia, no seu barulho tão gostoso e relaxante!
Eu vejo poesia em um campo coberto pela relva, ao amanhecer... No cheiro do mato, das flores...
Eu vejo poesia nas flores e frutos que brotam, depois das intempéries de um inverno rigoroso!
Eu vejo poesia, quando em meio aos dias cinzentos de nossas vidas, Deus nos presenteia com momentos felizes! E nos sentimos como num oásis em meio ao deserto... E então, tudo volta a ser colorido! Tudo volta a fazer sentido!
Eu enxergo poesia na esperança: no milagre que é poder acordar todos os dias - abrir os olhos -, e enxergar com os olhos da fé!
E começar de novo... Sempre!
Viver é em si, um eterno poema!❤

*Esse texto eu escrevi, para participar de uma coletânea em fevereiro de 2020. Tive que refletir sobre "o lado poético da vida". 

quarta-feira, 23 de outubro de 2019

Em memória de uma Princesinha, chamada Júlia...❤

              Ontem, ao olhar o calendário, lembrei-me que era a véspera de um dia especial.
De que hoje, dia 23 de outubro seria o dia do aniversário, de uma menininha que viveu pouco - mas que nos marcou pra sempre...
Não sei porquê, mas lembrei-me de uma das últimas vezes, em que ela esteve aqui em casa comigo.
Lembro-me que ela vestia uma calça de jeans, dessas de menina, toda delicada! E levei-a de volta, de ônibus. Eu ia trabalhar, e no caminho deixei-a com a minha irmã – sua mãe.
Lembrei-me disso, e bateu uma saudade!
Ainda essa semana, eu e minha filha lembramos de tudo o que vivemos quando a Jujú adoeceu e partiu...
Lembramos do significado de sua doença e morte, para todos nós! Foi um momento de dor, mas também de união para toda a família.
Todos nós passamos à refletir, sobre o real significado da vida, da família, da união. Da brevidade da vida. E da relativa insignificância, dos bens materiais!
           Enfim, paramos para pensar, no que realmente importa nessa vida!
E Deus nos sustentou até aqui.
De lá pra cá passaram-se nove anos... 
E cá estamos nós: no corre e corre do dia a dia! Muitas vezes estressados e sobrecarregados!
Então lembrei-me daquela menininha linda, sensível, delicada... que em tão pouco tempo, nos ensinou tanto!
E pensei: a vida é tão breve, e a gente se estressa tanto! Algumas vezes, com razão. Mas na maioria das vezes, por tão pouco...
Quisera eu, poder abraçá-la, mais uma vez... E ouvir a sua voz, me chamando de “Tia Dê”...
O tempo passou, passaram-se os anos, e de vez em quando, as lembranças tornam-se vívidas, em minha memória!
De quando em quando, olho as fotos dos porta-retratos. As fotos eternizam a menina que partiu, e que deixou saudades...
A sua existência tão breve, a sua partida tão prematura: deixou-nos marcas profundas!
O tempo pode passar, mas o Amor permanece... Jamais será esquecida!
Gosto muito de um pensamento que diz: “Saudade é o Amor que fica...”.
Saudade é verdadeiramente, o Amor que fica em nós, de quem já partiu...Mas que terá um lugar para sempre guardado, bem juntinho do nosso coração!
Hoje, o dia tem “nome”, tem “cheiro” e tem um “ar” de saudade...
Em memória de uma Princesinha, chamada Júlia...para sempre meu coração! 

"... Algumas pessoas são sim eternas, dentro da gente."

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

A esperança e as manhãs...❤


           
 Imagem extraída do Google
     É impressionante o poder restaurador, de uma nova manhã!
Quantas vezes vamos dormir desesperançados, desanimados e de certa forma, acuados.
Muitas vezes, com a impressão de "fim da linha"...
Quantas e quantas vezes fomos dormir assim?
Porém, com o novo dia, com o sol; ou mesmo, apenas com a claridade das manhãs, em dias chuvosos - a nossa esperança renasce!
É incrível o poder transformador de uma nova manhã! É coisa de Deus mesmo!
Em Sua Palavra, temos a promessa de que: "O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã "!
Glórias a Deus por isso!
Por nos presentear, impreterivelmente, com essa "fagulha", essa "chama", que arde em nosso peito, e que nos impele à levantar, à tentar de novo, à não desistir.  À resistir!
E que nos torna resilientes feito o bambu: que enverga, se prostra. Muitas vezes, parece que não tem mais jeito, e que vai ficar caído... Então ele volta à sua forma original, como se nunca tivesse ficado prostrado!
A esperança faz isso com a gente!
Nos torna resilientes, também.
Nos faz acreditar - que ainda que tenhamos dias cinzentos, difíceis e sombrios - nosso Pai que está no céu, cuida de nós!
Nos sustentando, nos fortalecendo, e nos presenteando todos os dias, com as manhãs.
E com a bendita Esperança, de que dias melhores virão! 

domingo, 11 de agosto de 2019

Quando é que um homem torna-se pai?

Hoje faço um repostagem de um texto que escrevi em agosto de  2017 - como homenagem ao Paizão e avô amoroso, que eu tenho aqui em casa!💖

Quando é que um homem torna-se pai?

Será que tudo começa no plano da genética, onde o espermatozoide do pai encontra o óvulo da mãe, e juntos dão início à uma nova vida?

Com certeza, não! Essa é uma visão muito simplista!

Uma mulher não torna-se mãe, e um homem não torna-se pai, apenas por gerarem uma vida!

A maternidade e a paternidade vão muito além disso!
A genética, a biologia, o DNA tornam-se meros detalhes, diante da magnitude que é ter um filho!

Um pai de verdade, não é um simples genitor, como existem muitos por aí.

Que emprestam seu DNA, mas abandonam os filhos à própria sorte: quando nascem, ou mesmo quando se separam de suas mães.

 Alguns esquecem que têm filhos e responsabilidades.  Não dão apoio afetivo ou material. E muitas vezes o fazem, apenas quando a lei os obriga! Já vi tantos casos assim. E é triste, muito triste...

Um homem torna-se verdadeiramente pai, quando olha nos olhos de seu filho(a) pela primeira vez, e o(a) enxerga através dos olhos do Amor... Ali começa a paternidade!

E a paternidade se dá, em todas as vezes que ele acorda à noite com o choro do(s) seu(s) pequenino(s).
Ou quando dá banho, dá a mamadeira, troca as fraldas, dá a primeira papinha... Enfim, quando divide com a mãe, tudo o que se refere ao seu filho.

Conforme o tempo passa, ele vai a cada dia, se aprimorando na arte de ser pai!

E ele exerce a paternidade: nas brincadeiras, ao ensinar à andar de bicicleta, ao ensinar à soltar pipa, à nadar, à fazer as lições.
Ao levar ou buscar na escola. Quando dá bronca, quando põe de castigo.

E.. quando dá aquele beijo e abraço, apertados!

Nas noites em que conta uma história, antes do(a) filho(a) dormir.
Ou, que o(a) consola quando acorda assustado(a) no meio da noite, por causa de um pesadelo...

Quando ensina à orar, à cantar... Enfim, são tantas as fases e tantas coisas à ensinar!

Um homem exerce plenamente sua paternidade, cada vez que passa seus valores, sua ética, seus princípios e sua integridade -  formando assim - o caráter de seu filho(a)!

Essa é a melhor herança que um pai pode deixar para seus filhos: seu exemplo e uma história de vida de retidão!

Parabéns e um Feliz Dia dos Pais a todos os pais!

E em especial ao pai-herói que eu tenho aqui em casa - a você,  Rogério!

Um PAI maiúsculo, amoroso e presente! Enfim, o melhor pai que o Pedro poderia ter!

Que Jesus o abençoe e o conserve assim!

Um Feliz dia do Pais!

Amamos você!💞

terça-feira, 23 de julho de 2019

Ainda existe esperança! ❤

Imagem extraída do Google
Na semana passada, eu tive a oportunidade de conversar pessoalmente, com uma moradora de rua.
No momento, ela  está em situação de acolhimento, e em fase de recuperação; pois também é dependente química.
Conheci também, outras na mesma situação. E até uma refugiada de outro país!
Diante dessa realidade, senti como se meus problemas e minhas preocupações fossem ínfimos!
E me questionei: por que mesmo que eu reclamo da vida??
A maioria dessas pessoas, acaba por se tornar invisíveis...
Muitas vezes andamos nas ruas – e na correria –, passamos por elas, mas nem as notamos!
Noutras vezes, chamam-nos a atenção: pedindo uma ajuda.
Então, paramos por alguns momentos, olhamos em nossas bolsas, e tiramos uns trocados para ajudá-las.
E seguimos nossas vidas, sem nem ao menos nos lembrarmos, que nos detivemos ali, por alguns segundos!
Em alguns finais de semana, nos programas dominicais -  assistimos à histórias de vida como essas. Sentimos pena, nos solidarizamos.
Mas no dia seguinte, seguimos nossas vidas... E nos esquecemos...
Só que essas pessoas, continuam vivendo suas mazelas, enquanto nos encontramos ,no conforto do nossos lares!
[...]
Quando conversei com ela, pude conhecer um pouco de sua história.
Da sua infância sofrida. Da solidão que sentia, desde de pequenina.
Da dor, de ”perder” vários filhos durante a caminhada. O uso de drogas tirou-lhe toda a dignidade!
Ainda assim, ela se encontra ali: na esperança do recomeço!
Na fé em Deus, de que o dia seguinte, será melhor!
De que lá na frente, ela sairá limpa, e recuperará a sua dignidade!
A esperança de reencontrar a mãe, alguns dos filhos...
De se casar com o companheiro, que também está lutando contra o vício!
De ir à igreja louvar a Deus!
Coisas que pra nós, são simples, e que fazem parte de nosso cotidiano! Mas que para ela, seriam grandes conquistas!
[...]
Fiquei impressionada com sua inteligência!
Ela quis me conhecer, porque escrevo. E queria que eu a “ensinasse” a escrever também! Que lhe desse algumas dicas, de como começar!
E fiquei realmente surpresa, com sua articulação e desenvoltura,  com as palavras!
Um dia -  ela me disse -, já foi muito boa em português!
Ela quer escrever, e contar a sua história.
Contar os seus tropeços, os seus erros; e principalmente, os livramentos que Deus lhe deu!
E ela é capaz de enxergar - mesmo que em meio à uma vida de erros, de vícios, de luta, de perdas, de fugas, de indignidades -, uma “luzinha” lá no fim do túnel...
Porque naquele coração endurecido pelo sofrimento, mora também a esperança: de que dias melhores virão!
E de que existe um Deus lá no céu, que se importa com ela, e com os seus!
[...]
E eu oro e peço a Jesus -  que lhe restaure a dignidade, perdida há tanto tempo!
Que ela consiga se libertar desse vício maldito, que roubou-lhe tantas coisas!
Que tenha a oportunidade de recomeçar!
De contar a sua história, e de ainda resgatar muitas vidas, através dela!
Sim, porque o principal ela está buscando: que é se reconciliar com Deus, com Jesus!
Porque um dia, lá seu passado, ela teve a “sementinha” da Palavra plantada em seu coração... E hoje, ela se agarra à ela!
E é essa “sementinha” que vai crescer e frutificar novamente, com a graça de Deus!
Porque Jesus é “especialista” em recomeços.  
Em vidas novas: remidas e lavadas, por seu sangue!
E é por isso, que eu creio:  que nunca... nunca é tarde, pra recomeçar!

“Porque há esperança para a árvore que, se for cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus renovos.


Se envelhecer na terra a sua raiz, e o seu tronco morrer no pó,

Ao cheiro das águas brotará, e dará ramos como uma planta nova”.
                                                                                                                                                                                                                                                                                                Jó 14: 7-9

terça-feira, 25 de junho de 2019

Celebrando a vida...❤

Imagem extraída do Google
             Ontem estava me sentindo cansada.
O final de semana foi “cheio”, movimentado!
Não paramos "nem por um minuto"! Nem no sábado e nem no domingo.  Tivemos uma overdose de festas!
No entanto, o cansaço era apenas físico, pois o fim de semana foi muito agradável!
Celebramos nos dois dias, a vida! 
Comemoramos no sábado, o aniversário de uma amiga. Uma amiga recente, mas muito querida!
A decoração de sua festa, teve como tema, os girassóis. Para combinar com ela: que está sempre radiante, falante e alegre! 
E tivemos a companhia, de outros novos amigos, muitos agradáveis!
[...]
É engraçado, mas existem vários tipos de amizade: aquelas que se solidificam com o tempo e com a convivência.
E outras, que nascem pela afinidade. E sentimos como se conhecêssemos a pessoa há muito tempo!
Temos os amigos que vemos sempre. Outros, que passamos anos sem ver.
O valor da amizade, não pode ser mensurado pela frequência com que vemos os amigos.  Pois em alguns casos – a vida, as circunstâncias, dão um longo intervalo de tempo entre a amizade.
Porém, à partir do momento em que nos falamos, ou nos encontramos, a amizade aflora novamente.
E a impressão que se tem – é que não se passou nem um único dia!
Todas as amizades são valorosas e acrescentam muito às nossas vidas!

“...mas há um amigo mais chegado do que um irmão”. 
                                                                           Provérbios 18:24
            [...]
No domingo comemoramos o aniversário de um tio muito querido, que fez 90 anos!
Um homem vivido, sofrido. Mas que tem sempre um sorriso no rosto, para nos receber! E muita vitalidade!
Que domingo gostoso!
Deu pra “matar” as saudades dos primos e primas, tios e tias...Todos, muito queridos!
Que me remetem à minha infância... Esses momentos, para mim, sempre são preciosos: pois essas lembranças me aquecem o coração... ❤
Nesses momentos, sentimos saudades também, dos que já se foram...💔
A vida é esse constante ir e vir...
É -  na maioria das vezes -, uma “correria louca”! Em que nos afastamos daqueles que nos são caros.
Então, justamente por isso, eu prezo tanto esses momentos! Essas oportunidades que temos, de estar em família!
Momentos de “curtir” a companhia um do outro.
De sentir a sensação gostosa:  de rirmos juntos, de nos abraçarmos...
E de dizer:
- Que saudade de você!
[...]
Estar em família ou entre amigos -  é benção de Deus!
E é um exercício pleno, do Amor... 

sábado, 25 de maio de 2019

No dia Nacional da Adoção...❤

Quando o assunto é Adoção - confesso que sou uma entusiasta!
Amo falar sobre o assunto! Sou membro de vários grupos sobre adoção.
Gosto muito de ler as histórias, as expectativas dos pais até a chegada dos filhos... O período de convivência.
E também, de contar a minha história: pois através dela, algumas pessoas têm lançado um outro olhar sobre a adoção.
Como maio é o mês da adoção – todos estão compartilhando suas histórias.
E há alguns dias atrás, eu publiquei a nossa história em um dos grupos. Através dela, eu recebi o seguinte comentário:

              “Linda história... me emocionei... Estou na espera também há dois anos e 10 meses... também aumentei a idade e agora também mais 1 irmão...  Meu perfil 0 a 4 anos e 1 irmão até 7 anos.  Deus sabe a hora e o dia. Mas sua história me deu mais esperança... Beijos, que Deus abençoe”.

Como me alegra o coração, saber que ao contar a minha história, pude levar um pouco de esperança à essa mãe que espera seu(s) filho(s)!
Como me alegro quando vejo alguma postagem assim: “Meu telefone tocou!”.
Pra quem está na espera, esse dia é como um teste positivo de gravidez!
Só que pra nós -  mães e pais do coração -  vem primeiro a espera: que às vezes dura meses, anos... Até que o telefone toca!!
E aí começa a outra etapa: a do “nascimento” dos nossos filhos, assim que os conhecemos! ❤
São muitas emoções em todo esse processo de espera, conhecimento, amor... Por isso eu amo ler e saber de histórias de adoção!
E assim como aconteceu com essa mãe que leu a minha história, aconteceu também com um casal que conhecemos numa viagem há quase dois atrás.
Hoje eles estão no CNA esperando seu filho(a). E o fato de ter nos conhecido, ajudou-os a tomar a decisão de adotar. E saber disso é mais um motivo para o meu coração se alegrar...
...
Ainda falando adoção, vou contar também, uma lembrança que tive ao ler uma   postagem em um grupo de adoção:
                Um pai se sentiu enciumado, por seu filho chamar a responsável da família acolhedora, de “mãe”. Na postagem ele diz que ficou com ódio, quando foi buscá-lo!
Apesar de muitos o terem condenado por esse sentimento; eu creio que usou a palavra, como força de expressão.
Na verdade, o que ele deve ter sentido, foi ciúmes, não ódio!
E o entendo perfeitamente, pois nós, pais e mães do coração temos sentimos contraditórios, que - depois, parando para pensar-, chegam à ser engraçados!
Quando eu conheci o meu filho, eu o conheci numa terça-feira. Durante toda a semana, eu ia todos os dias, de manhã e à tarde, para vê-lo, e fazer a adaptação: dava mamadeira, banho, trocava fraldas, e etc.
No sábado fui informada que no domingo, não poderíamos visitá-lo, pois a psicóloga responsável iria levá-lo a um churrasco na casa dela, com as funcionárias do abrigo.
Confesso, que eu e meu marido sentimo-nos indignados! Como não poderíamos vê-lo no domingo?
E ainda iriam levá-lo à um churrasco? Ele, um bebezinho ainda! E se acontecesse alguma coisa?
Não pensamos racionalmente: que até então, ele havia sido cuidado por elas! E diga-se de passagem, muito bem!
Na segunda, para nossa surpresa, fomos informados que o juiz havia expedido a guarda provisória, e ele viria pra casa! E elas, como já estavam sabendo que isso poderia ocorrer – fizeram um churrasco pra se despedirem dele... ❤
Senti-me um pouco envergonhada pelo meu ciúme. No entanto fiquei surpresa, ao me dar conta da dimensão do Amor que eu sentia por ele, em menos de uma semana!
Na verdade, como eu sempre digo: o Amor “brotou” em meu coração, no dia em que eu o conheci... ❤
É inexplicável como nasce esse sentimento! É “coisa” de Deus, mesmo!
...
O tempo passou...E o meu Pitico cresceu, e já está com 8 anos!
Outro dia assistindo à uma novela, ele viu uma mulher grávida, com um barrigão. E ao conversar com ele, lembrei-o de que ele nasceu em meu coração.
Então, ele olhou pra mim pensativo, e me disse:
- Se eu nasci no seu coração, então eu estava na barriga de outra mãe?
Aí eu expliquei pra ele:
- Não! Você estava na barriga de outra mulher. A sua mãe sou eu! E por isso, você nasceu no meu coração! Lembra que eu te contei? 😊
E ele saiu satisfeito com a resposta. À partir desse dia, eu percebi que ele já está começando a entender o real significado, do que é “nascer no coração”!
Na semana passada, eu estava imprimindo alguns desenhos de um livrinho infantil que escrevi sobre a nossa história. Ele olhou para os desenhos, e disse para mim e meu marido:
- Essa é a minha história! Sabia pai, que eu estava na barriga de outra mulher? Depois de um tempo, você e a minha mãe foram me buscar, lá naquela casinha? Então, eu nasci no coração de vocês... Né, mãe?
Nós nos olhamos, olhamos pra ele e sentimos tanto Amor! ❤
E que felicidade sentimos, ao constatarmos que ele está crescendo, e assimilando tudo descomplicadamente. Sem encucações ou neuras!
Bem, acho que já escrevi demais!
Hoje quis compartilhar um pouco dos meus sentimentos e do nosso dia a dia.
   Pra finalizar - nesse dia da Adoção -, compartilho novamente com vocês, um texto que escrevi no ano passado.
Só posso dizer – como já disse inúmeras vezes - que a adoção é uma benção e um privilégio!
Amo você meu filho! ❤
E eu Amo ser Mãe do coração... ❤❤


Texto escrito em 09/11/2018
Hoje, no dia Mundial da Adoção, eu estou aqui sentada – apesar de ter mil coisas pra fazer ☺-, relembrando como me tornei mãe do coração...❤
Aos quarenta e dois anos descobri que havia entrado na menopausa, um pouco precocemente. E justamente, quando estava tentando engravidar...
Na época encarei essa situação, como encaro tudo em minha vida: aceitei a notícia confiando que Deus estava no comando de nossas vidas!
Várias pessoas sugeriram-me que fizesse algum tratamento, já que a medicina anda muito avançada! Mas eu não quis forçar a minha natureza.
Não sou contra esse tipo de tratamento, mas particularmente, não encarei como uma opção.
Eu já havia experimentado a maternidade em meu primeiro casamento. Na época não tive problemas em engravidar. Hoje minha filha já está adulta e me deu dois netinhos lindos... ❤
Como já escrevi anteriormente – logo de início pensei na possibilidade da adoção. Mas o meu marido se sentia inseguro. E eu não quis pressioná-lo.
O tempo passou – aproximadamente um ano. E como Deus sabe de todas as coisas, Ele permitiu esse tempo, para que a ideia e o desejo fossem amadurecendo em nossos corações...
Meu marido ligava a TV e lá estava passando uma reportagem sobre adoção.  À princípio ele assistia sozinho. Depois foi ficando animado e me chamava, toda vez que via algum programa com o tema!
Até que um belo dia, ele chegou pra mim e me disse que queria adotar! E lá fomos nós ao fórum pra nos informarmos! Providenciamos tudo e entramos na fila do CNA. Foram dois anos e meio de uma longa espera...
- Quando decidimos adotar um filho temos que estar absolutamente seguros de nossa escolha. Pois o preconceito existe: entre familiares, amigos; em pessoas que menos se espera! Você ouve os mais variados tipos de comentários, tais como:
“- Nossa! Você tem muita coragem! Eu nunca teria coragem de adotar! Porque tem a genética, e você não poderá saber que tipo de “pais” ele tinha, e o que poderá se tornar!”.
Ou:  - “Ainda bem que ele veio bebezinho! Porque uma criança maior daria mais trabalho para se adaptar. E não seria a mesma coisa...”.
E nesses comentários desagradáveis, podemos sentir o preconceito das pessoas sobre o assunto! Ainda hoje, eu ouço essas coisas... Esses tipos de comentários são totalmente desnecessários, e eu rebato, respondendo:
- Por acaso a biologia dita o caráter de uma pessoa? 
- Meu filho, quando chegou, era sim um bebezinho! Na verdade, eu esperava uma criança maior, entre um e cinco anos. Mas Deus quis escrever a nossa história, de uma maneira diferente da que havíamos planejado: e meu filho chegou com apenas dois meses!
Quando esperava meu filho, eu estava pronta pra Amar, quer ele viesse com um, quatro ou cinco anos! Ainda que estivesse maltratado, e nem bonito fosse!
Na verdade eu esperava uma criança assim: tanto que preveni o meu marido de que isso poderia acontecer!
E então... nosso filho chegou: um bebê gorduchinho, lindo e sorridente! Mas eu não o amei mais por isso!
Amei-o desde o primeiro momento - simplesmente porque ele, a partir de então, era o meu filho!
Hoje ele tem sete anos e sabe que nasceu em nossos corações... ❤
Encara o assunto com naturalidade. Não sei se entende ainda o real significado de tudo! O que sei é que é feliz e desencanado com o assunto!  
Eu amo falar sobre a nossa história!  Nunca quis que fosse um tabu para ele. Falamos com nosso filho desde muito pequeninho...
E algumas vezes, através da nossa história – incentivamos outros casais à adotar.
O que posso falar - é que sou mãe biológica e do coração.
Amo meus dois filhos com a mesma intensidade! E posso falar por experiência de causa, que não existe diferença nenhuma no Amor que sinto por ambos.
E sabem por quê? Porque um filho nasce primeiramente em nossa alma, nasce lá no âmago do nosso ser! Independentemente de ter sido gerado no ventre ou no coração...
A única coisa que é imprescindível ter para ser mãe ou pai... é Amor! É ter apenas capacidade de Amar!
É uma bênção que Deus concede a todos!! Basta querer e se entregar incondicionalmente a esse Amor... ❤
Quem adota com responsabilidade e amor, certamente muda a vida de uma criança para melhor!
Por outro lado, essas crianças, mudam totalmente as nossas vidas também!
Somos “adotados” quando olhamos para aqueles olhinhos pela primeira vez... E nesse belo dia, as dúvidas, transformam-se em certezas, e Deus testifica em nossos corações, que ali, naquele momento, encontramo-nos diante de nosso filho!
E hoje, no Dia Mundial da Adoção, eu oro e glorifico a Deus pela vida do meu filho!
Agradeço pela benção e pelo privilégio de ser Mãe do Coração!
E digo e reafirmo, que o que realmente importa nessa vida - é o Amor! ❤

“Não habitou meu ventre, mas mergulhou nas entranhas da minha alma. 
Não foi plasmado do meu sangue, mas alimenta-se no néctar de meus sonhos. Não é fruto de minha hereditariedade, mas moldar-se-á no valor de meu caráter. 
Se não nasceu de mim, certamente nasceu para mim”.

Este texto é uma compilação de alguns trechos, de textos que escrevi sobre o assunto, e que expressam a minha emoção de ser Mãe do ❤.

Link do blog/marcador “Adoção”:

sábado, 20 de abril de 2019

Aprendendo a viver...Sempre!

Imagem extraída do Google
Já há algum tempo tenho refletido sobre situações que tive que encarar, mesmo me sentindo insegura. Mesmo sentindo medo!
Então me deparei com essa imagem. E pensei no quão verdadeira ela é!
E lembrei-me também, das muitas vezes em que segurei o choro, em que engoli em seco.
Em que respirei fundo, e agi. Independentemente das minhas inseguranças!
Na maioria das vezes, encarar era a única alternativa.
Como a maioria dos "mortais", já fiquei deprimida. Já senti um pânico tão profundo, que a sensação que tinha, era a de que meu peito iria explodir!
Suei frio, senti o coração saltando pela boca, a visão turva... mas ainda assim - tive que enfrentar!
Quantas vezes eu coloquei um sorriso no rosto - quando na verdade, a minha vontade era chorar - não por falsidade, mas por teimosia mesmo! Em não querer entregar os pontos!
Houveram vezes, em que - aos finais de semana-, o desânimo, o cansaço batiam fundo, e eu me recolhia...
A vontade que tinha, era de me enfiar num “buraco”!
E me pergunto: quem já não teve essa vontade?
Houveram dias (ainda há), em que as dores físicas, se transformaram em dores emocionais...
Um coisa puxa a outra. E se não tivermos uma vontade forte e determinada -  entregamo-nos à depressão!
Eu creio que na vida de todos nós – existem lutas, provações, dias sombrios, desilusões...
Sim, porque um eterno “mar de rosas”, a meu ver, só existe nos contos de fadas!
Em nossa humanidade, deparamo-nos com essas situações difíceis e adversas. E é preciso enfrentar muitas vezes, a incompreensão e a falta de empatia!
Porém, cabe a cada um nós buscar a sabedoria necessária para encará-las de frente e não desistir!
Sempre gostei da analogia entre a noite e o desespero - e a esperança e as manhãs!
Está na Palavra de Deus:
"O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã". (Sl 30:5)
Esse Salmo expressa a mais profunda verdade!
Depois de uma longa noite, a clareza de pensamentos, a coragem e a persistência vêm com a manhã!
Glória a Deus por isso!
Por termos essa capacidade de nos “levantarmos” a cada manhã, não somente no sentido literal da palavra. Mas nos “levantarmos” em ânimo e vontade!

 "[...]
           E então você  aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não para, para que você o conserte.
Aprende que o tempo não volta para trás, portanto plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores, e você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe,  depois de pensar que não se pode mais.
E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!"
                                       Aprendendo a viver-William Shakespeare