O que realmente importa...

Minha foto
São Paulo, Brazil
Cheguei ao final do ano de 2009 totalmente estressada e esgotada devido as preocupações do dia-a-dia, com trabalho, estudo, e etc. Na verdade, eu não tinha nenhum problema específico. Apenas, era pessoa ansiosa e preocupada demais com o dia de amanhã. Mas como está na palavra de Deus: "...basta a cada dia o seu mal". Eu precisei passar por um sofrimento muito grande, pra enxergar que na verdade, as minhas preocupações, as minhas ansiedades não mereciam as noites de sono mal dormidas, a depressão que estava querendo tomar conta de mim! Sem querer negligenciar todo resto, eu aprendi que nada nesta vida tem realmente importância, a não ser, a vida daqueles que amamos...estes sim, são o que realmente têm importância em nossa vida... Eu tenho uma filha e um marido maravilhosos, que eu Amo, e que são bençãos que Deus me deu! Eu tenho familiares maravilhosos que eu Amo muito... E tenho amigos maravilhosos que amo muito também...Enfim, tanto pra agradecer ao Senhor! Mas só depois que eu perdi a minha amada sobrinha Júlia, foi que tive a real dimensão da importância de todos eles em minha vida! Todos eles são o que realmente importa pra mim! Todo o restante é secundário...07/2010

Seguidores

terça-feira, 9 de junho de 2020

Crônicas da quarentena...III

Hoje faz 85 dias, ou 12 semanas e 1 dia que estamos de quarentena. Em isolamento social.
Nesse período - saímos pouquíssimas vezes. 
Temos vivido muitas emoções nessa quarentena! Talvez, nunca mais sejamos os mesmos, depois que tudo isso passar...

Mas, hoje resolvi espairecer - e me lembrar dos momentos engraçados que tivemos, nesse período. E foram muitos: alguns talvez, eu nem me lembre hoje, para contar...

Pois bem: no comecinho da quarentena, em que estávamos todos muito assustados - morrendo de medo de ter que ir ao hospital, eu levei dois “tombaços”! 

Agora, à cada vez que me lembro dos tombos, eu rio sozinha... 😊
Por ocasião da páscoa, eu estava fazendo ovos  para os meus filhos e netos, e o telefone tocou. Eu estava distraída, e saí ao quintal falando com minha filha.
E vivi uma cena, digna das videocassetadas... 

Ao sair – pisei no patinete, que o meu filho deixou “estacionado” bem na frente da porta da cozinha. Fiquei “rodopiando” no ar, tentando me equilibrar para não cair...

Resumo: me esborrachei no chão! Bati o joelho, torci as costelas... Amassei a tampa do latão de lixo, tentando me equilibrar nele.

O telefone sem fio, voou longe, espatifou no chão e desmontou, quando me desequilibrei!

Minha filha ficou lá do outro lado da linha, achando que a ligação caiu.

Só depois de algum tempo, foi que consegui me recompor, e liguei para ela chorando - acreditando que tinha quebrado alguma coisa. Por milagre, não quebrei nada, graças a Deus! Mas fiquei toda dolorida...

Alguns dias depois, eu estava fazendo um banoffee de banana, para a minha netinha.  E tive que picar algumas bananas em rodelas. Estávamos eu e meu marido na cozinha.

De repente, ao passar por ele, levei o maior escorregão! Quando ele se virou para ver o que tinha acontecido, lá estava eu esborrachada novamente no chão... 😊
Uma rodelinha da banana tinha caído no chão, e eu distraída, não vi, e pisei... E lá se foi mais um tombo! Nem havia me recuperado do primeiro!

Só rindo pra não chorar... Muito cuidado com os brinquedos e bananas, nessa quarentena!  

Bem... E com o confinamento e a paralisação das aulas, as crianças têm muito tempo para “maquinar” suas artes! Um minuto de descuido, e eles aprontam!

Outro dia o Pedro me chamou depois que terminou o banho. O banheiro estava todo embaçado. E ele apavorado, porque seu espelho tinha trincado de fora à fora.

Perguntei o que havia acontecido, e ele permaneceu calado, olhando pra mim. Perguntei, se ele havia jogado alguma coisa no espelho - e ele quieto...

Então observei, que no embaçado do espelho, se sobressaiam alguns círculos... Fiquei intrigada: o que poderia ser?

Até que o “apertei”, e ele acabou confessando que pegou o desentupidor do vaso (que graças a Deus, nunca havia sido usado!) e ficou grudando no espelho... 
Olha a arte da criança: que perigo, se o espelho quebrasse, e viesse pra cima dele!

Num outro dia em que estava bem frio, quando ele estava indo para o banho, ele me perguntou se era para trocar as meias -  se elas estavam sujas... E eu disse que sim!

Ele demorou para se trocar no banheiro. Até dei uma bronca, justamente por estar bem frio, e ele demorando e tomando friagem!
Pois não é que - depois de duas horas, quando estávamos na sala assistindo à TV -, ele olha pra mim na maior inocência, e me diz que tinha lavado as meias, e que estavam limpinhas no pé dele! Quase tive um piripaque de nervoso!
Que ideia de girico! 😁 
Ele ficou mais de duas horas, com as meias molhadas nos pés, naquele frio! Só pela misericórdia!

E os meus netinhos?  Estão aprontando mil e uma, no apartamento em que vivem!

Outro dia, meu netinho encheu todas as gavetas do armário do banheiro, de água! Quando minha filha viu, já estava tudo alagado! 😊
Num outro dia, minha netinha trancou-a na área de serviço. Justo na hora em que uma cliente apertava a campainha, para pegar uma encomenda! 
Enquanto minha filha gritava para eles abrirem – os dois riam, achando graça! Até que por fim, abriram...
A criançada está “botando pra quebrar”, nessa quarentena! 😊
Ah! Já ia me esquecendo! Outro dia li uma frase meio sarcástica: "se você não cortou o próprio cabelo, não está cumprindo direitinho a quarentena...".
Pois eu estou cumprindo muito bem! Já cortei e repiquei, meu próprio cabelo! Como ele é cacheado, dá para disfarçar as "burradas"...😁
As emoções de todos estão afloradas, com tudo o que estamos passando.
Hoje não vou me aprofundar, e tentar entender os sentimentos - mas apenas relatar essas situações tragicômicas...

Eu - com essa quarentena -, estou com uma vontade “louca” de fazer pães, bolos, doces... Já testei tantas receitas de pães, que quando passar tudo isso, estarei apta à abrir uma panificadora! 😊
Já fiz também vários cursos gratuitos de extensão: minha filha acha graça desse meu jeito! Diz que vou sair superespecializada dessa quarentena!

Também faço artesanato: com pedras, decoupage, pintura, costura, e etc. 

Nesses dias de confinamento, aprendi à fazer vídeos das minhas “artes”. E posto tudo, no meu blog de variedades!

Tenho arrumado gavetas, armários...
Talvez, se algum psicólogo me analisar, é quase certeza que vai diagnosticar esse meu comportamento, como uma espécie de fuga da realidade... E pode até ser!

Mas é o jeito que tenho encontrado, pra não “surtar” com tudo isso!

Enquanto a cura para o vírus não chega, e essa quarentena não termina - vamos nos reinventando com criatividade e força de vontade.

E principalmente – com fé em Deus, de que dias melhores virão! 😉 

*Para quem quiser conhecer meu blog de "aventuras" culinárias e artesanato, segue o link!😉

5 comentários:

  1. Adelisa Silva, amei seu texto! Muito leve, real e divertido!��

    ResponderExcluir
  2. Retratou o que a maioria de nós está fazendo para passar por todo esse tsunami! Arrumar gavetas, experimentar receitas novas com meu Filho de 18 anos que é um companheiro, insegurança medo e esperança sentimentos loucos!🙏🥰 Tudo passa

    ResponderExcluir
  3. É mesmo rindo dos próprios tombos que realmente aprendemos a viver.

    ResponderExcluir
  4. Carla Vellekoop Borges12 de junho de 2020 10:41

    Amei o texto!

    ResponderExcluir

Olá! Seu comentário me deixa muito feliz! Responderei assim que possível em seu blog ou e-mail.