O que realmente importa...

Minha foto
São Paulo, Brazil
Cheguei ao final do ano de 2009 totalmente estressada e esgotada devido as preocupações do dia-a-dia, com trabalho, estudo, e etc. Na verdade, eu não tinha nenhum problema específico. Apenas, era pessoa ansiosa e preocupada demais com o dia de amanhã. Mas como está na palavra de Deus: "...basta a cada dia o seu mal". Eu precisei passar por um sofrimento muito grande, pra enxergar que na verdade, as minhas preocupações, as minhas ansiedades não mereciam as noites de sono mal dormidas, a depressão que estava querendo tomar conta de mim! Sem querer negligenciar todo resto, eu aprendi que nada nesta vida tem realmente importância, a não ser, a vida daqueles que amamos...estes sim, são o que realmente têm importância em nossa vida... Eu tenho uma filha e um marido maravilhosos, que eu Amo, e que são bençãos que Deus me deu! Eu tenho familiares maravilhosos que eu Amo muito... E tenho amigos maravilhosos que amo muito também...Enfim, tanto pra agradecer ao Senhor! Mas só depois que eu perdi a minha amada sobrinha Júlia, foi que tive a real dimensão da importância de todos eles em minha vida! Todos eles são o que realmente importa pra mim! Todo o restante é secundário...07/2010

Seguidores

quarta-feira, 6 de maio de 2020

Crônicas da quarentena...II

         Hoje fiz as contas, e eu e meu filho estamos há 51 dias, ou 7 semanas e 2 dias – confinados em casa.
Como meu marido sai todos os dias para trabalhar, optamos por só ele sair. Ele faz as compras do mercado, ou de algumas outras coisas, que precisamos.
Em todos esses dias, só saí três vezes de casa. E voltamos rapidamente.
Eu converso com minha filha, meus netos e minha mãe, todos os dias, várias vezes, ao telefone. Falo com outros familiares e amigos, por telefone ou whatsapp.
A saudade aperta! O contato físico faz falta!
Muitas vezes, em todo esse tempo, nos perguntamos se estamos exagerando: pois vemos pessoas por aí, andando despreocupadamente, e sem máscaras.
Várias vezes ensaiei para dar uma volta à pé, nas imediações aqui de casa. Mas desisti. Se já estou há tanto tempo de quarentena, por que arriscar quebrá-la, justamente agora?
Se todos estivessem cumprindo a quarentena direitinho: só saindo quem realmente precisa sair e de máscara (têm muitas pessoas, que não pararam de trabalhar – têm que sair todos os dias), eu creio que o contágio desse vírus, já estaria enfraquecendo!
Só que muitas pessoas não têm consciência coletiva: questionam o uso de máscaras, a quarentena...
Eu penso que as pessoas deveriam ter discernimento: deveriam querer se proteger, e proteger ao próximo, independentemente de decretos que os obriguem a isso!
Já li e ouvi cada absurdo! Tem gente que questiona a existência do vírus...
Li o comentário de um rapaz na internet, que estava incentivando as pessoas a saírem, para se contaminarem – porque na concepção dele, todo mundo criaria resistência, imunidade! Eu fico abismada, com tamanha ignorância!
Será que essas mesmas pessoas, não veem as notícias?  Não veem, o que está ocorrendo no mundo todo?
Hospitais lotados, pessoas morrendo. As famílias muitas vezes, não podem se despedir e velar seus mortos!
Todo esse isolamento é necessário, para que os hospitais não lotem todos ao mesmo tempo, e se instaure o caos!
Por outro lado, penso nas pessoas que não estão trabalhando, que perderam seus empregos; e que estão passando por dificuldades... Imagino o desespero!
Os dois lados me assustam e entristecem...
Estamos vivendo uma situação desesperadora – em que ninguém sai realmente vitorioso, independentemente do lado em que possa estar. Uma situação parecida com uma guerra, onde as perdas são inevitáveis...
Meu sono - e o de muita gente, pelo que sei - está alterado, com tudo o que está acontecendo.
Na semana passada, tentei me disciplinar, acordando mais cedo. Mas de nada adiantou. O sono não vem...  Vi até numa reportagem: esse é um dos efeitos do confinamento!
O que sei, é que esses dias de isolamento nessa quarentena, não têm sido nada fáceis!
O estresse por toda essa situação, causa alterações não só emocionais, mas físicas também, tais como: alterações na pele e no cabelo. Alergias generalizadas. Crises de ansiedade, humor alterado, e até pânico!
Até me senti mais tranquila, assistindo à uma outra reportagem, que descrevia a maioria desses sintomas, causados pelo estresse do confinamento.
Vi que não estava sozinha. E que meu corpo estava somente reagindo, à toda essa situação!
Me preocupo também, com as crianças!
Elas, que - em sua maioria - sempre foram ativas, começam a ter alterações no comportamento (acessos raiva, choro, teimosia, tristeza e muitas vezes, até depressão).
Por estarem mais solitárias e longe dos seus familiares. E principalmente, por não terem contato com outras crianças, para brincar. Sentem também, a falta da escola e dos coleguinhas.
Aqui em casa, procurei atividades pra ajudar meu filho à passar por essa fase, tão difícil!
Criamos uma rotina de estudo, de joguinhos, filmes, desenhos, livros e exercícios.
De vez em quando, ele me ajuda na cozinha. Fala e lê para os sobrinhos (meus netos) pelo Whatsapp.  Assiste à “lives” de zoológicos e aquários.
No entanto, ainda assim, ele sente falta de brincar com os sobrinhos, e com os coleguinhas...
Eu tenho feito alguns exercícios no quintal. Tomo sol todos os dias.
Comecei a tomar vitaminas, para fortalecer meu sistema imunológico.
Tenho feito muitos cursos gratuitos de extensão. Minha filha brinca que vou sair superespecializada, dessa quarentena! 😊
Tenho cozinhado muito, também! Testo novas receitas, faço pães e doces.
Faço artesanatos, costuras. Posto tudo no meu blog de receitas e variedades!
O engraçado é que nunca estive tão criativa, como agora!
De vez em quando, escrevo – como hoje – pra extravasar meus sentimentos!
Quando parei de trabalhar há dois anos atrás, estava tão estressada e cansada - física e mentalmente (por meus problemas de saúde), que não conseguia ler mais nada.
O máximo que eu conseguia, era escrever, de vez quando. Mas até ter inspiração para escrever, estava difícil!
Hoje, apesar de estressada, tenho conseguido estudar, tenho conseguido ler!
Estou lendo um livro muito bom, que ganhei do meu marido no dia da mulher: uma biografia de Rubem Alves – um dos meus escritores prediletos! Que sempre me inspirou com seu modo de escrever e de ver a vida...
Tenho arrumado os armários, os guarda-roupas... A cada dia, procuro me manter ocupada, porque o ócio envenena a mente e os pensamentos.
Porém, confesso que têm dias, em que acordo desanimada. Sem vontade de cozinhar, de arrumar as coisas, de estudar. Enfim, sem vontade de fazer nada!
Nesses dias, bate a desesperança: a impressão de que nunca mais teremos uma vida normal, com liberdade de ir e vir...
Então, depois de sofrer um pouco - muitas vezes, vivenciar essa espécie de “luto” é necessário, para trabalharmos nossas emoções -, eu oro e peço a Deus que renove a minha fé, a minha esperança e as minhas forças.
Olho para céu, e vejo os dias tão lindos... O céu tão azul, o sol brilhando, como se nada estivesse acontecendo...
E a minha força e ânimo, são renovados! E eu vislumbro novamente, um futuro cheio de esperança!
Volto à sonhar com o dia em que poderemos sair livremente – em que nos abraçaremos, e “mataremos” as saudades dos nossos queridos...
E volto a ter esperança: de que dias melhores virão, com a graça de Deus!

P.s.: na próxima crônica, acho que vou falar sobre as situações cômicas que tenho vivido nessa quarentena... Porque elas, com certeza, também fazem parte! 😉😁

7 comentários:

  1. Admiro seu jeito de ser...essa disponibilidade de inventar...reinventar...todos os dias....saudades das nossas aulas juntas...piscina agora....só daqui ha muito tempo né...eu voltarei branquela....����

    ResponderExcluir
  2. Acho a palavra 'confinamento' muito exagerada, mas é como muitos se sentem... As pessoas q andam por aí sem máscara são ignorantes e muito egoístas, talvez não acreditem por medo de se desesperar com a pandemia...

    ResponderExcluir
  3. E continua ein a coisa tá feia. fique em casa. Se cuida mesmo.

    ResponderExcluir
  4. Francismary Santarém7 de maio de 2020 19:01

    me vi em suas palavras

    ResponderExcluir
  5. Tbm me faço a mesma pergunta.....

    ResponderExcluir
  6. Ana Luisa Libero de Souza7 de maio de 2020 19:34

    Não é exagero isto é se proteje e proteger os desavisados que infelizmente são muitos

    ResponderExcluir
  7. Achei alguém que pensa exatamente como eu. Nos resta orar à Deus pedindo pelo fim da ignorância. Se houver conscientização geral venceremos o vírus.

    ResponderExcluir

Olá! Seu comentário me deixa muito feliz! Responderei assim que possível em seu blog ou e-mail.