O que realmente importa...

Minha foto
São Paulo, Brazil
Cheguei ao final do ano de 2009 totalmente estressada e esgotada devido as preocupações do dia-a-dia, com trabalho, estudo, e etc. Na verdade, eu não tinha nenhum problema específico. Apenas, era pessoa ansiosa e preocupada demais com o dia de amanhã. Mas como está na palavra de Deus: "...basta a cada dia o seu mal". Eu precisei passar por um sofrimento muito grande, pra enxergar que na verdade, as minhas preocupações, as minhas ansiedades não mereciam as noites de sono mal dormidas, a depressão que estava querendo tomar conta de mim! Sem querer negligenciar todo resto, eu aprendi que nada nesta vida tem realmente importância, a não ser, a vida daqueles que amamos...estes sim, são o que realmente têm importância em nossa vida... Eu tenho uma filha e um marido maravilhosos, que eu Amo, e que são bençãos que Deus me deu! Eu tenho familiares maravilhosos que eu Amo muito... E tenho amigos maravilhosos que amo muito também...Enfim, tanto pra agradecer ao Senhor! Mas só depois que eu perdi a minha amada sobrinha Júlia, foi que tive a real dimensão da importância de todos eles em minha vida! Todos eles são o que realmente importa pra mim! Todo o restante é secundário...07/2010

Seguidores

terça-feira, 26 de março de 2013

A gente se acostuma com tudo nessa vida!

Imagem extraída do Google
Eu sempre digo que a gente se acostuma com tudo nessa vida!
Com as coisas boas (é claro), e até com as ruins também...
Estou dizendo isso porque há algum tempo atrás, em conversa com um colega de trabalho, comecei a me lembrar de uns momentos difíceis que passei quando comecei a trabalhar.
Quando me separei, eu sai prestando tudo quanto é concurso, pois já estava para completar 35 anos e praticamente nunca havia trabalhado.
Na minha cabeça, o mercado não iria me querer!
Então, prestei os mais variados concursos: prefeitura (áreas da saúde e educação), bancos, SAAE. Atirei pra todo lado! 
O primeiro que me chamou foi justamente o da Prefeitura, para o cargo de Auxiliar de Consultório Dentário.
Quando prestei o referido concurso, na minha cabeça, uma auxiliar seria um tipo de secretária, que atende os telefones, marca as consultas, e só. Mas na prática, foi bem diferente...
Quando comecei, fui trabalhar num posto de saúde que atendia crianças. E meu trabalho era o de auxiliar os dentistas na prática: ficar ao lado, preparando o os materiais que seriam usados nas obturações, esterilizar tudo a cada consulta, e no final do dia, lavar o material contaminado.
No primeiro dia eu quis fugir de lá: meu estômago revirava quando pensava no sangue...
Esse é um trabalho digno, como outro qualquer, mas eu creio que pessoa tem que gostar, tem que ter vocação, para não passar apertado como eu passei!
Depois do meu primeiro dia, eu saí disposta a prestar qualquer outro concurso pra sair de lá...
E foi também aí que tive minha primeira crise de labirintite. Ia trabalhar zonza, zonza. Não podia olhar pra baixo que virava tudo. Só pela misericórdia! Eu acho que foi o nervoso...
Pra ajudar, como diz a lei de Murphy: nada é tão ruim que não possa piorar... Depois de algum tempo, fui transferida para o Centro de Especialidades Odontológicas.
Era mais perto de minha casa, só que para alguém que tem "medo" de sangue, era o "inferno"!
Lá eram feitos todos os procedimentos odontológicos mais complexos: tratamentos periodontais, de canal, cirurgias de dente do siso. 
Toda sexta-feira, tinha o tratamento de pacientes especiais: HIV positivos, com tuberculose, entre outros.
Eu morria de medo!  Nessa fase, "apanhei" bastante, mais do que cachorro na horta! 
Para completar esse quadro nada animador, na época existia um sugador da cadeira de cirurgia, denominado "Nevoni", e junto dele existia um "bendito" de um vidro...
Para os que têm estômago fraco, eu já vou avisando que o relato que segue é bem nojento!
Era um vidro enorme que ficava acoplado ao sugador, e o mesmo servia para acondicionar a saliva e o sangue que eram sugados durante as cirurgias.
Quando me deparei com aquilo, quase nem pude acreditar... Era uma das coisas mais nojentas que tive o desprazer de conhecer!
No final do dia, ele ficava cheiinho... E tínhamos que esvaziá-lo e lavá-lo.
Para amenizar um pouco a situação,  eu tive a ideia de revezar com a outra auxiliar  que também trabalhava lá, para lavar o  "bendito". Mas como era nojento!
Por ironia do destino, quando saí desse meu emprego para ir trabalhar no banco (havia prestado outro concurso público), fiquei sabendo que ele havia sido substituído por um aparelho de bomba a vácuo. Mas enquanto trabalhei lá, tive que me acostumar como “nojento”.
Pois bem, trabalhei dois anos na Prefeitura, como auxiliar de consultório. Nesse ínterim, uma escola também me chamou para trabalhar (de outro concurso que havia prestado). 
Mas já estava tão acostumada e conformada com o serviço, que acabei ficando por lá. Principalmente porque o salário era quase o mesmo e devido à proximidade de minha casa.
Quando estava totalmente adaptada ao serviço ( e já tinha "penado" bastante ),  o banco me chamou. Estou lá desde então...
E ontem,  no trabalho, vivi uma situação enquanto estava atendendo um cliente, que me fez lembrar de tudo novamente!
Um rapaz passou no meu caixa com uma boa quantia de dinheiro.
Eu, como de costume, arrumei todas as notas (todas viradas para a mesma direção), para começar a contá-las. Estava uma bagunça!
Ele então achou engraçado, e me disse que cada um nasce pra fazer um tipo de coisa. Que cada um tem a sua vocação.
Que ele não teria paciência para esse tipo de serviço: tão meticuloso!
Então eu sorri, e disse a ele que antes de ser caixa, eu havia trabalhado em um serviço totalmente diferente (fazia análise de crédito rural - anteriormente, logo que entrei no banco).
E que antes disso, eu já havia feito cada tipo de serviço, que ele nem iria imaginar! E então, contei uma pequena parte da minha história pra ele.
Por isso, eu digo sempre, que a gente se acostuma com tudo nessa vida!!
Basta a  necessidade bater à nossa porta, que arranjamos forças sem saber de onde!
Ou melhor, eu sei sim: Deus nos capacita! A nossa força vem do Alto!!
Quando estamos fracos, Ele vem e nos faz fortes. E nos capacita a seguir em frente e recomeçar!
Foi assim comigo, e creio que é assim com muita gente por aí...
Então, como disse aquele colega meu, a meu respeito: eu fui e sou polivalente, ou melhor: valente!
Mas tudo, pela graça do Senhor!

"As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se a cada manhã. Grande é a Tua fidelidade!". Lamentações 3:22-23

5 comentários:

  1. Olá! Crescemos e possuímos a nossa capacidade de expandir! Parabéns Srta, um abraço

    ResponderExcluir
  2. Você é um exemplo de superação! Um abraço Danilo

    ResponderExcluir
  3. Exemplo de superação só porque viu um sanguinho e uma salivinha? Então, tá. KKK

    ResponderExcluir
  4. Deixando um grande abraço e desejando uma Feliz Páscoa!!

    ResponderExcluir
  5. Olá Adelisa

    Gostei muito do seu blog. Deus sempre nos capacita, Ele tem cuidado de nós. Um forte abraço.

    ResponderExcluir

Olá! Seu comentário me deixa muito feliz! Responderei assim que possível em seu blog ou e-mail.