O que realmente importa...

Minha foto
São Paulo, Brazil
Cheguei ao final do ano de 2009 totalmente estressada e esgotada devido as preocupações do dia-a-dia, com trabalho, estudo, e etc. Na verdade, eu não tinha nenhum problema específico. Apenas, era pessoa ansiosa e preocupada demais com o dia de amanhã. Mas como está na palavra de Deus: "...basta a cada dia o seu mal". Eu precisei passar por um sofrimento muito grande, pra enxergar que na verdade, as minhas preocupações, as minhas ansiedades não mereciam as noites de sono mal dormidas, a depressão que estava querendo tomar conta de mim! Sem querer negligenciar todo resto, eu aprendi que nada nesta vida tem realmente importância, a não ser, a vida daqueles que amamos...estes sim, são o que realmente têm importância em nossa vida... Eu tenho uma filha e um marido maravilhosos, que eu Amo, e que são bençãos que Deus me deu! Eu tenho familiares maravilhosos que eu Amo muito... E tenho amigos maravilhosos que amo muito também...Enfim, tanto pra agradecer ao Senhor! Mas só depois que eu perdi a minha amada sobrinha Júlia, foi que tive a real dimensão da importância de todos eles em minha vida! Todos eles são o que realmente importa pra mim! Todo o restante é secundário...07/2010

Seguidores

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

E se...?

Imagem extraída do Google
E se...?
Quem é que não se deparou com esse tipo de questionamento em alguma fase de sua vida?
Todos nós, em algum momento de nossas vidas, já nos questionamos a esse respeito.
Na maioria das vezes, com arrependimento por alguma omissão ou decisão  do passado.
Esses dias, por conta de alguns problemas de saúde, questionei-me se deveria ter tomado decisões diferentes em meu passado.
Pude observar também, várias outras pessoas que conheço - e que por coincidência - também fizerem esses mesmos questionamentos com relação às suas vidas...
Um cliente que conheço, comentou comigo que quando era mais jovem, teve uma ótima oportunidade profissional. Poderia ter tido uma carreira diplomática. Porém, na época em que teve a oportunidade, sua esposa ficou muito doente, e ele teve que desistir. E me disse que se questionava como seria sua vida hoje, se tivesse seguido outra carreira...
É... A vida de todos nós é assim!
Todos os dias temos que tomar decisões. Fazer escolhas. Algumas simples, outras nem tanto!
Seguir para a direita ou para a esquerda? Vestir aquela roupa, ou a outra?
Permanecer naquele emprego, ou partir para novas experiências e oportunidades?  Começar, ou parar de estudar?
Ficar solteiro, ou se casar? Ter, ou não ter filhos?
No entanto, ao nos questionarmos e nos cobrarmos a esse respeito - e ter esse tipo de pensamento -, chegamos a ser cruéis  com nós mesmos, vivendo uma espécie de masoquismo!
É claro, que se tivéssemos tomado decisões diferentes, nossas vidas seriam, consequentemente diferentes.
No entanto, quem garantiria que seríamos felizes e realizados, através dessas "benditas” outras escolhas?
E se pararmos realmente para pensar, e estivéssemos no lugar onde as nossas escolhas e decisões nos tivessem levado -  certamente estaríamos lá, nos questionando e nos cobrando da mesma maneira!
Já dizia Luiz Fernando Veríssimo: “Ah... Se eu tivesse casado com a Doralice...". Nesse seu texto, ele faz esses mesmos questionamentos. E, no final das contas, chega à mesma conclusão a que eu cheguei: estaria certamente insatisfeito com suas outras escolhas!
Então, que aceitemos o nosso presente assim como ele é. Que mudemos o que pode ser mudado! O que não é possível, ou é consequência do passado, deixemos lá, sem olhar pra trás...
Não nos torturemos mais com divagações acerca do passado. Pois, fizemos o que tínhamos que fazer, naquela circunstância específica de nossas vidas!
Fomos para onde tínhamos que ir! Fizemos o que era possível, o que estava ao alcance de nossas mãos, na época.
E agradeçamos o presente a Deus! Pois estamos exatamente onde deveríamos estar...
Todo o resto são conjecturas, e não acrescentam nada em nossas vidas!

Vivemos cercados pelas nossas alternativas, pelo que podíamos ter sido. ...
Creio que a vida não é feita das decisões que você toma, ou das atitudes que você não teve, mas sim, daquilo que foi feito! Se bom ou não, penso, é melhor viver do futuro que do passado!". 
Luis Fernando Veríssimo 

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Sim... pela vida!

Imagem extraída do Google
No dia seguinte à aprovação da lei que descriminaliza o aborto, comecei a pensar novamente na “genitora” do meu filho.
Digo "novamente" porque pensei muito nela, logo que meu filho chegou... Até com certa revolta!  Pensava:  como ela havia tido a coragem de “abandonar” o meu filho!
Eram pensamentos conflitantes, totalmente contraditórios.
É claro, que se ela não o tivesse deixado, hoje ele não seria o MEU FILHO! O filho que eu amo com todas as entranhas do meu ser! Que “não nasceu de mim, mas que nasceu pra mim...”.
Uma benção... O principezinho que Jesus mandou pra mim, como eu sempre digo a ele!
E hoje estou aqui a pensar nela, novamente. Não com revolta, mas com gratidão!
Porque em meio aos dilemas que ela deve ter tido na época, ela optou pela vida! Poderia ter pensado no aborto como uma solução, já que não queria, ou não podia cuidar de um filho.
Até poderia tê-lo abandonado na rua, sozinho e indefeso, como tantos casos tristes que vemos por aí.
No entanto, nesse aspecto, ela teve um gesto nobre: entregou-o às autoridades, para que lhe encontrassem um lar.
Certa vez, li um livro sobre adoção, em que a mãe adotiva agradecia à mãe biológica através de uma carta, pelo gesto responsável que ela havia tido, ao ter entregado seu filho num abrigo, ao invés de  abandoná-lo.
E hoje, no dia em que se multiplicam discussões acaloradas sobre a descriminalização do aborto, pensei nessa mulher novamente...  
Que carregou meu filho no ventre, e lhe deu a vida!
E pela primeira vez, eu senti uma enorme gratidão!
E lhe diria,  se possível  fosse:
- Obrigada, por não tê-lo abortado!
- Obrigada, por ter tido a responsabilidade de buscar o melhor para o meu filho -  ao optar pela entrega, em vez do abandono.
- Obrigada, por ter me dado um presente tão precioso... Ainda que não tenha consciência disso!
Deus tem seus propósitos, e usou as circunstâncias da vida dessa mulher, para me abençoar e, abençoar meu filho também!
- Obrigada... Por ter tido a coragem de optar pela vida!!
- Que Deus a abençoe aonde quer que esteja...

- Não, ao abandono!
- Não, ao aborto!
- Sim, pela vida!!