O que realmente importa...

Minha foto
São Paulo, Brazil
Cheguei ao final do ano de 2009 totalmente estressada e esgotada devido as preocupações do dia-a-dia, com trabalho, estudo, e etc. Na verdade, eu não tinha nenhum problema específico. Apenas, era pessoa ansiosa e preocupada demais com o dia de amanhã. Mas como está na palavra de Deus: "...basta a cada dia o seu mal". Eu precisei passar por um sofrimento muito grande, pra enxergar que na verdade, as minhas preocupações, as minhas ansiedades não mereciam as noites de sono mal dormidas, a depressão que estava querendo tomar conta de mim! Sem querer negligenciar todo resto, eu aprendi que nada nesta vida tem realmente importância, a não ser, a vida daqueles que amamos...estes sim, são o que realmente têm importância em nossa vida... Eu tenho uma filha e um marido maravilhosos, que eu Amo, e que são bençãos que Deus me deu! Eu tenho familiares maravilhosos que eu Amo muito... E tenho amigos maravilhosos que amo muito também...Enfim, tanto pra agradecer ao Senhor! Mas só depois que eu perdi a minha amada sobrinha Júlia, foi que tive a real dimensão da importância de todos eles em minha vida! Todos eles são o que realmente importa pra mim! Todo o restante é secundário...07/2010

Seguidores

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Coisas que o dinheiro não pode comprar...

Imagem extraída do Google
Outro dia comecei a refletir sobre coisas que o dinheiro não pode comprar...
De uns anos pra cá, eu procuro não me estressar por dinheiro!
Se tiver algum  prejuízo, paro e reflito:  isso não é nada perto de um sofrimento maior, de uma doença incurável...
Dinheiro? Quando se tem força de vontade e  disposição, a gente trabalha  e ganha outra vez!
É claro que não saio esbanjando por aí. É preciso ter controle ao  gastar, porque a falta de dinheiro torna-nos “escravos” dele também.  Mas aprendi a equilibrar melhor a minha relação com ele!
Não tenho dó em gastar dinheiro com comida. Como bem, e o que tenho vontade!  Viajo sempre que posso! Dinheiro com viagem é dinheiro bem gasto! Tudo é claro, dentro das minhas possibilidades!
Dinheiro não compra felicidade, não compra paz de espírito...
Tampouco, compra saúde!        
Não compra dignidade, educação e nem caráter.
Definitivamente: dinheiro não traz felicidade. E nem manda buscar, como dizem por aí... Felicidade é um sentimento que não depende de uma conta bancária abastada.  Conheço pessoas que têm muito dinheiro, mas não são felizes.  Sentem-se vazias, deprimidas, totalmente infelizes! Sem um sentido na vida... Por outro lado, conheço também, pessoas humildes. Que levam uma vida modesta e são felizes, sim, em sua simplicidade!
Dignidade, educação e caráter também não podem ser comprados. Essas qualidades vêm de berço.  Se a pessoa não teve exemplo em casa de como se portar, do que é certo ou errado,  fica difícil!  E dinheiro nenhum no mundo, pode dar jeito em falta de caráter ou de educação! O dinheiro,  nesse caso  é um mero detalhe...
Dinheiro também não compra saúde. Aprendi isso de uma maneira muito triste e dolorosa: vi a minha sobrinha doente, morrendo aos poucos, e dinheiro nenhum desse mundo pôde impedir seu sofrimento e sua partida...
Paz de espírito também é um bem precioso, que não tem preço.  Essa paz vem através de coisas que o dinheiro também não compra: uma  consciência tranquila, fé em Deus, um coração limpo de mágoa. Da capacidade de perdoar, de não guardar rancor...
Refletindo sobre tudo isso, cheguei à conclusão de que mais importante do que ter dinheiro no bolso:  é sim,  ter saúde, paz e alegria, para poder desfrutar tudo o que a vida tem de melhor!
Isso é o que realmente importa!

"Na vida, o que realmente vale a pena, o dinheiro não compra."

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Meus 50 anos...

Ontem completei 50 anos. Meu Deus, cinquenta anos!
Meio século... Parando pra pensar: é uma data bem especial!
Para comemorar fiz um almoço com a família.
Minha irmã Ricardina surpreendeu-me com um vídeo de retrospectiva, em minha homenagem.
Fiquei muito emocionada ao assistir! Foi emocionante e engraçado ao mesmo tempo, assistir à minha trajetória de vida.  Desde pequenininha... Apesar, que pequenina, eu sou até hoje! 
Quanta coisa eu vivi nesses cinquenta anos! Tristezas, perdas... mas muitas alegrias também!
Algumas derrotas, e  muitas vitórias! Frustrações... Muitas realizações!
Ao relembrar, através de cada foto, foi como se o filme da minha vida estivesse passando realmente diante dos meus olhos...
Lembrei-me do meu pai, o Sr. Haraldo... Ele sempre foi muito enérgico!  Eu me lembro de que corria léguas pra não levar umas cintadas! Eu era arteira e vivia aprontando!  Ah! E eu morria de medo que ele cortasse o meu cabelo enquanto estivesse dormindo. Meu cabelo era bem armado – mais ou menos estilo Gal Costa  - e ele vivia ameaçando cortá-lo se eu não desse um jeito.
Mas o que me marcou, não foi a sua “braveza”, ou o seu jeito enérgico e exigente. Foi, sim, o pai carinhoso que ele sempre foi... Isso sempre se sobrepôs a tudo!
E ontem senti saudades do meu pai... 
Senti saudades também, ao rever minhas fotos com a Juju: a minha amada sobrinha, que tão prematuramente se foi...  Que saudades da minha princesinha! Da minha sobrinha tão carinhosa, que me amava tanto! Eu que eu amei como uma filha também!
...
Em minha trajetória, vivi grandes emoções!  Grandes alegrias! Quanto Amor! 
Que gostoso ver fotos antigas, do fundo do baú... A maioria em preto e branco.
Eu, bebêzinha, no colo da minha mãe...  Com os meus irmãos: todo mundo com cara de quem fez arte!
Depois já adulta, com um cabelo estilo “Chitãozinho e Xororó”... 
Que gostoso lembrar da Natália, bebezinha!  A minha menina - que agora já é mãe também!
Que gostoso poder lembrar:
- Do dia do meu batismo...
- Do dia do meu casamento...
- Da chegada do Pedrinho...
- Da chegada da Belinha...
- Do dia do lançamento do meu livro...
- Das reuniões de família, com os amigos...
Quanta coisa boa pra relembrar e aquecer meu coração!
Nestes últimos cinquenta anos, tenho muito que agradecer ao Senhor!
Apesar das muitas dores por que passei, e alguns percalços em meio ao caminho – tive muitas e muitas alegrias, também!
Como disse minha irmã, desempenhei e desempenho tantos papéis:  filha, irmã, esposa, mãe, avó, tia, cunhada, nora, sogra; bancária, escritora, dona de casa, amiga... Às vezes bem, noutras, nem tanto... Mas sempre procurando dar o melhor de mim!
E, o que realmente importa ao relembrar tudo isso...  é que  tive, e tenho sempre mil motivos para continuar sorrindo!
Obrigada, Jesus,  pelos meus cinquenta anos... 

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

"Porque quando estou fraco, então sou forte"

Imagem extraída do Google
          Esse pensamento de Cora Coralina cai como uma luva pra mim! E acredito que para muitas outras pessoas também!
Quantas e quantas vezes, ao longo da caminhada, o fardo pareceu-me tão pesado, que a solução mais fácil a princípio, seria desistir!
Só que, assim como ela, eu também não me levei a sério, e apesar do desânimo, dei mais um passo e segui em frente...
       Muitas vezes as tribulações vêm: através de enfermidades, de dificuldades, de pessoas que querem nos deixar pra baixo: às vezes nos humilhando ou hostilizando.
       Então vem a tristeza e a sensação de que nada tem sentido, de que nada mais vale a pena. De que não somos capazes de seguir adiante, ou até mesmo, de suportar o sofrimento.
No entanto, a Palavra de Deus nos diz: "Porque quando estou fraco, então sou forte".  2 Coríntios 12:10.
É bem assim mesmo! Quando chegamos ao fundo do poço, quando tudo parece sem sentido, ou sem esperança.  Quando as nossas forças estão quase se extinguindo, e a impressão que temos é a de que não vamos mais suportar... De repente tiramos forças de onde nem imaginávamos que seríamos capazes de tirar!
         E então damos mais um passo, e outro... E voltamos a caminhar, a seguir em frente!
As tristezas, as decepções, as nossas dores, vão ficando pra trás... E uma "estrada" novinha - ainda desconhecida - se abre a nossa frente!
      Em nossa fraqueza é que realmente descobrimos nossa força! Cada um sabe seu limite, sabe até onde pode chegar, e até onde pode suportar!
O que realmente importa, é que depois da tempestade, o sol sempre volta a brilhar... Que a esperança, a vontade de viver, a força e a coragem, prevaleçam dentro de cada um de nós!
E lembremo-nos sempre: que podemos tudo, Naquele que nos fortalece!
Glórias a Jesus por isso!

“E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!”                  
                                                                                                               William Shakespeare