O que realmente importa...

Minha foto
São Paulo, Brazil
Cheguei ao final do ano de 2009 totalmente estressada e esgotada devido as preocupações do dia-a-dia, com trabalho, estudo, e etc. Na verdade, eu não tinha nenhum problema específico. Apenas, era pessoa ansiosa e preocupada demais com o dia de amanhã. Mas como está na palavra de Deus: "...basta a cada dia o seu mal". Eu precisei passar por um sofrimento muito grande, pra enxergar que na verdade, as minhas preocupações, as minhas ansiedades não mereciam as noites de sono mal dormidas, a depressão que estava querendo tomar conta de mim! Sem querer negligenciar todo resto, eu aprendi que nada nesta vida tem realmente importância, a não ser, a vida daqueles que amamos...estes sim, são o que realmente têm importância em nossa vida... Eu tenho uma filha e um marido maravilhosos, que eu Amo, e que são bençãos que Deus me deu! Eu tenho familiares maravilhosos que eu Amo muito... E tenho amigos maravilhosos que amo muito também...Enfim, tanto pra agradecer ao Senhor! Mas só depois que eu perdi a minha amada sobrinha Júlia, foi que tive a real dimensão da importância de todos eles em minha vida! Todos eles são o que realmente importa pra mim! Todo o restante é secundário...07/2010

Seguidores

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Alienação digital...😢

Hoje, no comecinho da noite, estava na alça de acesso à Rodovia Santos Dumont, na altura do bairro Oliveira Camargo.
Deparei-me com uma cena inusitada, que me deixou incrédula!
Em meio ao congestionamento de carros, caminhões e  motos; um motoqueiro pilotava sua moto (porque apesar do congestionamento,  o transito seguia), e ao mesmo tempo digitava em seu celular - que estava estrategicamente acoplado no painel da moto.
Fiquei perplexa!  Que cena absurda!!
Em que mundo nós estamos?
Eu acho que as pessoas estão perdendo totalmente a noção, tal o vício no "bendito" celular!
Faço hoje essa re-postagem, como uma forma de reflexão. E também para manifestar minha indignação, diante desse vício, que assola tantas pessoas, cada dia mais e mais...😢
Imagem extraída do google
Já há algum tempo, um assunto tem me chamado a atenção; e até me incomodado um pouco.
No último fim de semana, ao assistir à uma reportagem na TV, pude constatar que a situação está ficando grave!
A matéria foi sobre uma mulher, de trinta e poucos anos, que estava totalmente alienada com relação ao mundo real. Ficando conectada, praticamente as vinte e quatro horas do dia. Já não tinha mais, muito contato com mundo real, com suas amigas, e etc...
Infelizmente, tenho observado que a maioria das pessoas não interagem mais umas com as outras.
O mundo virtual está se sobrepondo ao real! E acho isso um horror!
Os celulares, tablets e afins, tomaram o lugar nas conversas. Ninguém mais conversa olhando no olho...
Tenho presenciado cenas realmente tristes de se ver!
Pessoas que saem de férias, e têm a capacidade de ficar teclando em seus celulares à beira da piscina, na praia...
Em vez de se divertirem e desfrutarem de momentos preciosos e únicos, junto de seus familiares.
Já tive o desprazer de conversar com pessoas, quer preferiram teclar em seus celulares, ou tablets, do que me olhar nos olhos ao desfrutar de um bate-papo gostoso!
Ou,  até mesmo situações extremas que vi pela TV: pessoas  andando pelas ruas, e sendo atropeladas por falta de atenção. Pessoas com problemas de postura, porque permanecem o dia todo de cabeça baixa, olhando para a tela.
Fico me perguntando: o que realmente ocorreu com as pessoas, para que se desse tal alienação?
Será que esse mundo virtual é tão melhor que o real?
Creio que seja apenas um mundo ilusório. Onde não se precisa mais olhar olho no olho... 
Onde as pessoas não se “desnudam”, e não mostram seus verdadeiros sentimentos.
Ou, não demonstram verdadeiramente quem são!
Talvez - para alguns - seja melhor viver em um mundo de “faz de conta”.
Porém, eu sinto saudades do tempo que que conversávamos olhando no olho...
Do tempo em que havia cumplicidade e sinceridade nas amizades.
Do tempo em que podíamos fazer amigos num ponto de ônibus, numa fila de banco ou supermercado.
Em que trocávamos não só ideias, mas até receitas, conversando no ônibus...
Enfim, em qualquer lugar em que se estivesse disposto.
Porque naquele tempo, conversávamos de verdade!
Sempre peço a Deus: discernimento, para que não me deixar escravizar por uma tecnologia que foi criada para me auxiliar.
E que nada, absolutamente, nada... substitua o calor que existe num abraço apertado, ou na sinceridade de um olhar...

Texto escrito originalmente em 13/11/2015.

Um comentário:

  1. Texto muito bom, infelizmente é essa nossa realidade....😑

    ResponderExcluir

Olá! Seu comentário me deixa muito feliz! Responderei assim que possível em seu blog ou e-mail.