O que realmente importa...

Minha foto
São Paulo, Brazil
Cheguei ao final do ano de 2009 totalmente estressada e esgotada devido as preocupações do dia-a-dia, com trabalho, estudo, e etc. Na verdade, eu não tinha nenhum problema específico. Apenas, era pessoa ansiosa e preocupada demais com o dia de amanhã. Mas como está na palavra de Deus: "...basta a cada dia o seu mal". Eu precisei passar por um sofrimento muito grande, pra enxergar que na verdade, as minhas preocupações, as minhas ansiedades não mereciam as noites de sono mal dormidas, a depressão que estava querendo tomar conta de mim! Sem querer negligenciar todo resto, eu aprendi que nada nesta vida tem realmente importância, a não ser, a vida daqueles que amamos...estes sim, são o que realmente têm importância em nossa vida... Eu tenho uma filha e um marido maravilhosos, que eu Amo, e que são bençãos que Deus me deu! Eu tenho familiares maravilhosos que eu Amo muito... E tenho amigos maravilhosos que amo muito também...Enfim, tanto pra agradecer ao Senhor! Mas só depois que eu perdi a minha amada sobrinha Júlia, foi que tive a real dimensão da importância de todos eles em minha vida! Todos eles são o que realmente importa pra mim! Todo o restante é secundário...07/2010

Seguidores

terça-feira, 29 de setembro de 2015

A escrita e eu...

Outro dia senti-me um tanto estranha ao ler meu livro...
Ao ler meus textos, minhas histórias, a impressão que tive era de que se tratava de outra pessoa:  não eu! Que tudo aquilo que ali estava, tinha sido vivenciado por outrem.
Ou, até mesmo, que tudo aquilo havia transcorrido num passado longínquo... Ao qual não pertenço mais!
No entanto, todas as histórias que ali estavam, eram minhas! Minhas histórias, minhas vivências!
Há aproximadamente cinco anos atrás, através de uma grande dor, aflorou em mim a vontade de escrever. E desde então -  a minha escrita é um processo tão natural!  
As palavras fluem, as ideias vão surgindo, despejadas em folhas em branco, como uma espécie de catarse! Pra mim, escrever é terapia, é algo vital, uma necessidade!
Tal qual tenho a necessidade de me expressar ao conversar, assim também é com minha escrita! 
Gosto de muito de falar, conversar, assim como de escrever também. Ambas andam juntas.  Se pararmos para pensar mais a fundo: sempre temos algo a dizer!
Às vezes escrevo porque estou triste, ou frágil, ou desanimada. Outras vezes, porque estou alegre, motivada, entusiasmada, admirada!  Ou, porque observo certas situações que me causam estranheza, surpresa, divertimento ou até indignação.  
A razão não importa! É apenas o “motor de propulsão” que me leva a escrever. O que importa é extravasar os sentimentos!
E assim, vou escrevendo minhas histórias... E sem que eu perceba, ou que me dê conta, lá estou eu, com muitas histórias para contar!
Escrever ajuda-me a seguir em frente. A desabafar o que muitas vezes angustia-me a alma.
Ou extravasar sentimentos tão grandiosos, como o amor ou a alegria - que de tão grandes que são – provocam-me uma vontade imensa de compartilhá-los com outras pessoas!
E ao olhar para trás, ao olhar para as minhas histórias: sinto uma alegria imensa, por saber que em algumas situações, ajudei alguém a seguir em frente também!
As pessoas são únicas, incomparáveis. Algumas são fáceis de lidar. Outras, nem tanto! Porém, sempre temos algo a aprender um com o outro!
E por mais difícil que possa parecer muitas vezes, sempre peço  a Deus: que a alegria, o amor, o carinho, o perdão e a compaixão nunca morram dentro de mim!
Assim o tempo passa! Sigo, vivo e aprendo um pouco mais a cada dia.
Porque a cada situação que observo, a cada nova história que escrevo, uma nova pessoa me torno!
- Senhor Jesus,  faça de mim, independentemente das circunstâncias, uma pessoa melhor!

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

✿ Assim como uma amoreira... ✿

Hoje, em homenagem ao dia da árvore faço uma re-postagem de um texto que escrevi em 2013, sobre a minha amoreira.
Ela sempre inspira-me muito! 
Ontem cheguei de viagem e lá estava ela, carregadinha de amoras maduras! Que coisa linda!
Até a poucos dias atrás, o pé estava "peladinho", sem uma folha sequer!
No entanto, no final de cada inverno, ela sempre se renova, e extrai forças sabe-se lá de onde... 
E então recomeça linda e frondosa a cada primavera.
Que milagre! Assim é o meu frágil pé de amora...
E assim somos nós, com a graça de Deus! 

16 de outubro de 2013
✿ Assim como uma amoreira... ✿
Minha amoreira, meu xodó...
“Porque há esperança para a árvore, pois, mesmo cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus rebentos. Se envelhecer na terra a sua raiz, e no chão morrer o seu tronco ao cheiro das águas brotará, e dará ramos como a planta nova”. (Jó 14:7-9)
... 
- O que conto de novo? Muita coisa!  Separei, comecei a trabalhar, me converti (sou crente), casei de novo, adotei um filho, esses dias escrevi um livro, e agora vou ser vovó! 
- Ah! tenho um blog também! Fiz bastante coisas, né!
...
Foi assim que respondi a um professor de inglês (que a tempos não via, e que me encontrou no Facebook) quando ele me perguntou o que eu tinha pra contar de novo.
Ficamos uns quinze ou vinte anos sem nos falarmos! E aí, quando ele fez a pergunta, foi essa a minha resposta de imediato!
Parando pra pensar, fiz tanta coisa nesses últimos anos! Coisas boas, e coisas ruins... Mas graças a Deus, as boas sempre me mantiveram de pé, e eu fui seguindo em frente! Quanta coisa eu vivi nesses quinze ou vinte anos!! 
Separei-me, e na época me senti completamente perdida... O futuro me assombrava, mas fui à luta: voltei a estudar, comecei a trabalhar, prestei alguns concursos. E  com a ajuda de Deus, consegui passar em alguns!
Conheci a Jesus: essa foi uma das maiores mudanças em minha vida. Literalmente, nasci de novo!
Casei novamente, depois de alguns anos adotei meu filho. Muitos disseram que eu era louca em ter outro filho aos quarenta e seis anos de idade. Se eu estava "louca", essa foi a melhor loucura que fiz!  
Antes disso, comecei a escrever num blog... E agora, escrevi um livro!! Essas foram algumas das coisas que fiz da minha vida!
Outro dia olhei para a minha amoreira (eu tenho um pé de amora no quintal, plantado num vaso grande), e fiquei admirada ao ver como ela deu frutos neste ano!! Até a poucos dias, ela estava completando "pelada", sem folhas.  Então, eu fiz uma poda dos galhos, e de repente as folhas novas começaram a brotar. E depois as flores... E agora ela está cheia de frutos! É incrível, pois está plantada num simples vaso! É um pé pequeno, mas dá frutos enormes e saborosos!!
Penso que às vezes somos como esse pé de amora: nossas "folhas caem", sentimo-nos tristes e desamparados... Mas aí, chega a "primavera", e então "florescemos"! A vida nos presenteia novamente com momentos felizes!
E ao observar o meu pé de amora, eu fiz uma analogia dele com a minha vida: como aquele pé de amora, que um dia perdeu suas folhas, parecendo que iria morrer, que não haveria mais jeito...
Assim é a minha vida, e a vida de todos nós! 
Em certos momentos, as tribulações vêm querendo nos derrubar, e ficamos tristes, deprimidos, desanimados! Perdemos "as folhas" nesses momentos... Como na época da minha separação, em que me senti literalmente perdida... Como quando tive que operar três anos seguidos por causa de um problema de endometriose. Ou, quando entrei na menopausa precocemente, justamente na época em que estava tentando engravidar!
Quando perdi minha sobrinha Júlia, e a dor que senti foi imensurável! 
E em tantos outros momentos, que fizeram parte da minha vida, e que na verdade me fazem ser, quem eu hoje sou!
Mas aí, o tempo passa, Deus nos capacita, nos fortalece, e como o pé de amora na primavera e outono, nós“florescemos e damos frutos”!

...
Há um tempo atrás, logo depois do lançamento do meu livro, minha professora de Pilates olhou pra mim, sorriu e me disse: que vida boa a sua! Adotou um filho, escreveu um livro...!
Graças a Deus, minha vida é boa, sim.  E sou feliz! Mas como disse a ela naquele dia, tive também meus momentos extremamente difíceis... 
E diante deles, coube a mim, decidir entre me prostrar e me entregar. Ou, seguir em frente e superar!
A vida é feita de escolhas, e cabe a nós - assim como faz a cada primavera aquela amoreira com seus galhos secos e sem folhas -  extrair a força necessária, para florescer e frutificar...
Para continuar, e seguir em frente, sempre!

“Situações pra eu parar
Circunstâncias e decepções que eu encontrei na vida
Pra me desanimar
Perseguições pra me derrubar
Mas, o Senhor me deu a direção
Me mostrou a saída
Me fez enxergar
O Teu propósito, o Teu imenso amor
O Teu cuidado, pra Ti eu tenho valor
Não há nada nesse mundo que vai impedir
Os Teus projetos em minha vida irão se cumprir
Eu creio!”       Régis Danese