O que realmente importa...

Minha foto
São Paulo, Brazil
Cheguei ao final do ano de 2009 totalmente estressada e esgotada devido as preocupações do dia-a-dia, com trabalho, estudo, e etc. Na verdade, eu não tinha nenhum problema específico. Apenas, era pessoa ansiosa e preocupada demais com o dia de amanhã. Mas como está na palavra de Deus: "...basta a cada dia o seu mal". Eu precisei passar por um sofrimento muito grande, pra enxergar que na verdade, as minhas preocupações, as minhas ansiedades não mereciam as noites de sono mal dormidas, a depressão que estava querendo tomar conta de mim! Sem querer negligenciar todo resto, eu aprendi que nada nesta vida tem realmente importância, a não ser, a vida daqueles que amamos...estes sim, são o que realmente têm importância em nossa vida... Eu tenho uma filha e um marido maravilhosos, que eu Amo, e que são bençãos que Deus me deu! Eu tenho familiares maravilhosos que eu Amo muito... E tenho amigos maravilhosos que amo muito também...Enfim, tanto pra agradecer ao Senhor! Mas só depois que eu perdi a minha amada sobrinha Júlia, foi que tive a real dimensão da importância de todos eles em minha vida! Todos eles são o que realmente importa pra mim! Todo o restante é secundário...07/2010

Seguidores

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Alienação digital...

Imagem extraída do google
Já há algum tempo, um assunto tem me chamado a atenção; e até me incomodado um pouco.
No último fim de semana, ao assistir à uma reportagem na TV, pude constatar que a situação está ficando grave!
A matéria foi sobre uma mulher, de trinta e poucos anos, que estava totalmente alienada com relação ao mundo real. Ficando conectada, praticamente as vinte e quatro horas do dia. Já não tinha mais, muito contato com mundo real, com suas amigas, e etc...
Infelizmente, tenho observado que a maioria das pessoas não interagem mais umas com as outras.
O mundo virtual está se sobrepondo ao real! E acho isso um horror!
Os celulares, tablets e afins, tomaram o lugar nas conversas. Ninguém mais conversa olhando no olho...
Tenho presenciado cenas realmente tristes de se ver!
Pessoas que saem de férias, e têm a capacidade de ficar teclando em seus celulares à beira da piscina, na praia...
Em vez de se divertirem e desfrutarem de momentos preciosos e únicos, junto de seus familiares.
Já tive o desprazer de conversar com pessoas, quer preferiram teclar em seus celulares, ou tablets, do que me olhar nos olhos ao desfrutar de um bate-papo gostoso!
Ou,  até mesmo situações extremas que vi pela TV: pessoas  andando pelas ruas, e sendo atropeladas por falta de atenção. Pessoas com problemas de postura, porque permanecem o dia todo de cabeça baixa, olhando para a tela.
Fico me perguntando: o que realmente ocorreu com as pessoas, para que se desse tal alienação?
Será que esse mundo virtual é tão melhor que o real?
Creio que seja apenas um mundo ilusório. Onde não se precisa mais olhar olho no olho... 
Onde as pessoas não se “desnudam”, e não mostram seus verdadeiros sentimentos.
Ou, não demonstram verdadeiramente quem são!
Talvez - para alguns - seja melhor viver em um mundo de “faz de conta”.
Porém, eu sinto saudades do tempo que que conversávamos olhando no olho...
Do tempo em que havia cumplicidade e sinceridade nas amizades.
Do tempo em que podíamos fazer amigos num ponto de ônibus, numa fila de banco ou supermercado.
Em que trocávamos não só ideias, mas até receitas, conversando no ônibus...
Enfim, em qualquer lugar em que se estivesse disposto.
Porque naquele tempo, conversávamos de verdade!
Sempre peço a Deus: discernimento, para que não me deixar escravizar por uma tecnologia que foi criada para me auxiliar.
E que nada, absolutamente, nada... substitua o calor que existe num abraço apertado, ou na sinceridade de um olhar...

14 comentários:

  1. Estacio Jose da Silva13 de novembro de 2015 18:54

    Sempre achei essa cena bem marcante quando estou num restaurante. Os pares ficam calados, imersos em seu mundo facebuquiano escrevendo 'kkkkk', 'vc', 'ksa', 'intão'... curtindo e sendo curtidos. Absorvendo e compartilhando futilidades.

    ResponderExcluir
  2. Juliana Umbelino Silva13 de novembro de 2015 18:55

    A mediocridade humana avança conforme a evolução da tecnologia.

    ResponderExcluir
  3. Janine Figueiredo Brandao13 de novembro de 2015 19:40

    Einstein disse que "haverá um dia em que a tecnologia superará as relações humanas. Nesse dia teremos uma geração de idiotas". Será que foi profético?

    ResponderExcluir
  4. Esse é um fenômeno mundial, mas apesar disso, o Brasil é o país onde mais se fica conectado à internet em número de horas. Acredito que há vários fatores, várias causas por trás dessa mudança de comportamento. Vou citar alguns, mas com certeza deve existir outros.

    1 - A tecnologia (internet/smartphones) é nova. Os seres humanos ainda estão aprendendo a lidar com essas maravilhas tecnológicas, porque não podemos esquecer que ter GPS, sua música preferida, a rede mundial de computadores interligada no seu telefone, aplicativos que você escolhe e baixa, isso tudo é um avanço, é muito positivo, é útil. Mas parece que o ser humano está maravilhado demais com isso tudo e acabou se perdendo um pouco. Com tempo e educação, vamos voltar à realidade, a realidade é que somos seres humanos, nascemos para interagir e ajudarmos uns aos outros, e a própria tecnologia pode ajudar muito, se não deixarmos ela afetar nossa psique.

    2 - Falando em psique. Até ponto estamos felizes? Somos o que sonhamos que fossemos? Estamos frustrados? A internet, as redes sociais, podem ser uma fuga, uma ilusão, onde a gente pode fingir, ou mesmo ser diferente do que é no dia-a-dia, onde o comportamente adequado é criado, pela sociedade, pela coletividade.

    3 - O desejo de ser famoso. Quanto mais curtidas melhor... Curtam, comentem, riem, mas vejam-me! São muitos casos de pessoas que fazem coisas mirabolantes, para não dizer ridículas, para aparecer na
    internet, quem sabe na TV, etc.

    4 - O ser humano multitarefa. Mais uma mentira que as novas gerações, e o mundo, estão querendo nos passar, e a gente vai aprender com os nossos erros. Já está provado que nosso cérebro só consegue se concentrar em uma coisa por vez, mas a sociedade em geral, não só as empresas, martela na produtividade, excelência, em fazer mais com menos, em fazer mais coisas ao longo do dia, etc... Teve um caso de uma mulher que capotou o carro enquanto mandava mensagem pelo celular ao mesmo tempo que dirigia. ela destruiu o carro, por sorte não se machucou. Mas, ela não aprendeu, meses depois capotou novamente o carro enquanto usava o celular. Ser humano multitarefa? Mentira, quando olhamos para o celular estamos prestando atenção ali, não em nossa volta, quando olhamos de volta aonde estavamos demoramos um pouco para nos situarmos e aí olhamos no celular de novo, resultado: não fazemos uma coisa bem feita, e o ser humano para se sobressair, para evoliur, ele precisa dar 110% de si naquilo que busca.

    Fiquem a vontade para "acharem" mais motivos para essa mudança de comportamento. Abraço a todos.

    ResponderExcluir
  5. Só tenho medo que futuro deixaremos as nossas crianças, onde isso vai parar, será que tanta tecnologia é realmente necessária ???

    ResponderExcluir
  6. Nilson Pereira dos Santos14 de novembro de 2015 11:19

    Estamos vivendo um MUNDO DE ILUSÃO E FASCÍNIO.
    O mundo está rodeado de TECNOLOGIA DESNECESSÁRIA E FÚTIL
    Assim perdemos os melhores momentos da vida em família e com amigos.

    ResponderExcluir
  7. Idelbrando Rodrigues Moreira14 de novembro de 2015 11:21

    Estamos cada vez mais ávidos por tempo, cada vez mais sem tempo, tempo de relaxar, tempo de descançar, tempo para os filhos, para o marido e a esposa, tempo de dormir, tempo de ir e tempo de vir.
    Tempo de morrer ...
    "me manda um zap" , "dá um like", "dá uma tuitada"
    Um milhão de amigos no Facebook e passa as noites só.
    Vários seguidores e ninguém para conversar pessoalmente.
    Não toque, não se aproxime, seja impessoal, e assim definham-se os relacionamentos.

    ResponderExcluir
  8. Texto verdadeiro minha amiga! Realmente estamos virando ilhas... Cercados de nada por todos os lados.
    Gostei!

    ResponderExcluir
  9. Patricia Martins Valduga15 de novembro de 2015 08:57

    eu fico mais preocupada com o que isso vai fazer com as crianças... adultos têm poder crítico e podem decidir o que é melhor pra si, mas criança não... depende dos pais.

    os pais que, precisando trabalhar, limpar a casa, cozinhar, ver um filme, botam uma galinha pintadinha pra ela assistir no tablet.
    Um joguinho pra ela jogar durante a novela das 8.
    Um negocinho eletronico pra ela brincar sozinha durante a tarde
    um videogame para ela não querer sair na rua, deus me livre
    um computador para ele não interagir com as pessoas, só de longe
    Um ser humano que não sabe identificar ironia num comentário porque não conversa cara a cara
    Um ser humano solitário que não consegue abordar uma pessoa pra perguntar as horas
    Um ser humano fadado a sentir frustração e raiva, porque não consegue conviver com pessoas.

    ResponderExcluir
  10. Tiago de Oliveira Stutz23 de novembro de 2015 08:24

    A tecnologia é só um canal escalável para que as características humanas se manifestem e não o problema em si.

    Se a pessoa sente mais interesse no seu celular do que no outro que está na sua frente é porque o outro está sendo pouco interessante para a primeira. Não é culpa do celular, mas das duas pessoas. Pra mim a tecnologia tem proporcionado uma expressão muito forte da VERDADE. A verdade é que no exemplo do restaurante a primeira pessoa não está interessada na segunda. Ponto final. Antes, quando ela não tinha o celular, ela ficava com cara de paisagem fingindo que estava porque ela não tinha o que fazer. Mas aquilo era um mentira.

    Ainda sobre o exemplo do restaurante, vamos mudar a pergunta: por que os dois tomaram banho, trocaram de roupa, pegaram o carro, estacionaram e estão dispostos a gastar dinheiro num jantar com alguém pelo qual você não se interessa? Ou ainda, se você acha ruim que a pessoa fique com o celular durante o jantar, NÃO jante com ela. Não tente acreditar na mentira de que ela não vai usar o celular.

    A grande verdade é que o trecho bíblico que diz "Conhecereis a verdade e ela vos libertará" vai, na minha opinião, muito além de conhecer a história do evangelho de Cristo, serve para tudo do dia-a-dia. Finalizando a análise desse exemplo do restaurante, a verdade é que a pessoa que está ao celular não se interessa pela outra como a outra gostaria e uma vez que essa outra tomar conhecimento e aceitar essa verdade ela se libertará de ter que ir a um jantar e ser ignorada, trocada por uma tela de 4 polegadas e poderá seguir em frente e experimentar uma verdade de se relacionar com alguém que se interesse realmente por ela.

    ResponderExcluir
  11. Você curte esse item - Remover o curtir desse item
    Nossa!! sensacional, estou no último ano do curso de Geografia e o tema do meu Tcc, será "Vida cibernética". Realmente, precisamos pensar sobre essa modernidade. Tem um Autor fantástico Zugmunt Bauman, em " Vida para o consumo" e "Amor Líquido". livros excelentes, pois faz uma critica a essa tecnologia alienante. Parabéns, ótimo texto.

    ResponderExcluir
  12. Ricardo Andre Silveira27 de novembro de 2015 07:41

    Aproveitando o comentário da Patrícia Valduga, os casais não tem filhos para passar seus valores. Os valores transmitidos são do berçário, da babá, e por aí vai. A mãe passa no máximo 6 meses com a criança e volta ao trabalho. Acredito que falta consciência dos pais. Optaram por ter um filho, alguém deve encarregar-se de passar os valores do casal nos primeiros 5 anos, no mínimo, ao descendente. O dinheiro de ambos os pais trabalhando não gerarão um adulto desejável à sociedade.

    ResponderExcluir
  13. Estacio Jose da Silva27 de novembro de 2015 07:47

    Ricardo,

    Esse é um mal enorme. Pai e mãe acham que muito dinheiro, uma viagem anual para a Disney, escolas particulares, natação, ballet e outros vão suprir a presença deles lado a lado, diariamente.

    ResponderExcluir
  14. Rafael Wobeto Caberlon27 de novembro de 2015 08:54

    GANHOU 14 CURTIDAS... ta famoso hein?? kkk

    realmente.... facebook entrou na mente das pessoas, as pessoas vivem PRO FACEBOOK.

    PRA MIM o FACE, mais do que outras "redes sociais" tem esse viés "viciante".. alienante....

    ResponderExcluir

Olá! Seu comentário me deixa muito feliz! Responderei assim que possível em seu blog ou e-mail.