O que realmente importa...

Minha foto
São Paulo, Brazil
Cheguei ao final do ano de 2009 totalmente estressada e esgotada devido as preocupações do dia-a-dia, com trabalho, estudo, e etc. Na verdade, eu não tinha nenhum problema específico. Apenas, era pessoa ansiosa e preocupada demais com o dia de amanhã. Mas como está na palavra de Deus: "...basta a cada dia o seu mal". Eu precisei passar por um sofrimento muito grande, pra enxergar que na verdade, as minhas preocupações, as minhas ansiedades não mereciam as noites de sono mal dormidas, a depressão que estava querendo tomar conta de mim! Sem querer negligenciar todo resto, eu aprendi que nada nesta vida tem realmente importância, a não ser, a vida daqueles que amamos...estes sim, são o que realmente têm importância em nossa vida... Eu tenho uma filha e um marido maravilhosos, que eu Amo, e que são bençãos que Deus me deu! Eu tenho familiares maravilhosos que eu Amo muito... E tenho amigos maravilhosos que amo muito também...Enfim, tanto pra agradecer ao Senhor! Mas só depois que eu perdi a minha amada sobrinha Júlia, foi que tive a real dimensão da importância de todos eles em minha vida! Todos eles são o que realmente importa pra mim! Todo o restante é secundário...07/2010

Seguidores

domingo, 12 de abril de 2015

Um pedacinho do paraíso...♥

             

Boqueirão Sul - Ilha Comprida/SP

             Existe um lugar, que quando chego , sinto uma paz enorme, meu coração se alegra e tudo parece melhorar!  É exatamente assim que me sinto quando vou pra Ilha Comprida/Cananéia...
           Ficamos sempre na última praia da ilha, já na divisa com Cananéia. Lá é um lugar simples,  sem grandes confortos e comodidades. Mas sinto um bem enorme quando vou pra lá...
           Minha filha acha um horror - diz que eu e meu marido somos meio doidos, por ficarmos num lugar que não tem farmácia, não tem médico. Onde o celular não pega direito.  E ainda por cima, o lugar geralmente está cheio de mutucas! Minha irmã dá risada quando digo que vamos  pra lá, e sempre me diz: - gosto não se discute! J
Em viagens para outros lugares, já tivemos o privilégio de nos hospedarmos em hotel cinco estrelas, com cama king size, e com direito a muitas mordomias. Mas o engraçado - e que até comentei com meu marido – é que nada se compara com a paz que sentimos quando estamos lá!
          Ficamos em um hotel simplesinho, sem luxo. Com café da manhã simples. Quarto idem, com  móveis antigos, cama de casal pequena, e sem TV.
Por lá, tudo é assim!
Na verdade, lá a natureza ainda é quase intocada. É praticamente uma reserva ambiental. As ruas são de terra ou areia, com mato rasteiro. A praia é comprida... e nos convida sempre a uma caminhada!
Tem riacho de mangue que deságua no mar.
Têm gaivotas - e quando se tem sorte - dá até pra avistar uns golfinhos.
Têm também as mutucas, que são uns mosquitos que picam doído!  Mas nem as “benditas” mutucas  tiram o meu ânimo de ir pra lá! J Engraçado: dessa vez não tinha mutuca! Acho que é a primeira vez que não as encontro,  desde que descobrimos esse lugar!
Não tem farmácia, nem médico, nem mercado. Quando vamos pra lá, já vou prevenida: levo um pouco de tudo, para o caso de uma emergência. Caso precisemos de alguma coisa, temos que ir ao continente, em Cananéia, fazendo a travessia de balsa. 
Cananéia é uma cidadezinha histórica, toda charmosinha!  Tem seus casarios antigos, coloridos. O município está reivindicando o posto de “primeiro povoado do Brasil”, após muitos anos de pesquisa. É tão gostoso passear por lá... J
E, domingo passado, ao retornar de viagem, parei pra pensar sobre como eu Amo esses dois lugares! Como me fazem bem!
Naquele  hotelzinho simples em que nos hospedei, eu sempre  tenho uma noite tranquila. Com o barulho das ondas embalando meu sono...
Naquelas ruas de terra e mato, eu ando descalça, sem nenhuma preocupação sobre o que tenho que calçar ou vestir.
            Quando estamos lá, não sinto falta de TV, nem de internet, ou qualquer outra tecnologia. Basta-me poder deitar ao sol,  em suas praias tranquilas. Ou brincar em suas águas límpidas e cheias de vida!
No caso de uma emergência -  temos  a balsa. E temos também alguns amigos que fizemos ao longo dos anos, e  que têm barcos  pra nos dar uma carona!
Dessa vez, ficamos apenas três dias. Mas  a impressão que tive ao voltar, foi a de ter ficado muito mais, tal o bem estar que senti: quando estava lá, e ao voltar de lá!
Para alguns pode parecer  ideia de “girico” ir pra um lugar assim. Ou, um típico “programa de índio”.  Pra mim ao contrário: lá o “menos”, é mais! É mais... paz, satisfação, tranquilidade... Muito menos estresse, muito menos ansiedade!
E voltar renovada, desestressada  e com a alma leve, é o maior “luxo” que eu poderia querer!
Isso, não tem dinheiro no mundo que pague! Não tem preço! 

Link relacionado: http://adelisa-oquerealmenteimporta.blogspot.com.br/2013/04/uma-pausa.html

Um comentário:

  1. Tadeu Antonio Dos Santos16 de abril de 2015 09:15

    Adelisa, ficou muito legal e é realmente o que eu sinto quando vou para aquele pedacinho abençoado por Deus. Beijos a todos

    ResponderExcluir

Olá! Seu comentário me deixa muito feliz! Responderei assim que possível em seu blog ou e-mail.