O que realmente importa...

Minha foto
São Paulo, Brazil
Cheguei ao final do ano de 2009 totalmente estressada e esgotada devido as preocupações do dia-a-dia, com trabalho, estudo, e etc. Na verdade, eu não tinha nenhum problema específico. Apenas, era pessoa ansiosa e preocupada demais com o dia de amanhã. Mas como está na palavra de Deus: "...basta a cada dia o seu mal". Eu precisei passar por um sofrimento muito grande, pra enxergar que na verdade, as minhas preocupações, as minhas ansiedades não mereciam as noites de sono mal dormidas, a depressão que estava querendo tomar conta de mim! Sem querer negligenciar todo resto, eu aprendi que nada nesta vida tem realmente importância, a não ser, a vida daqueles que amamos...estes sim, são o que realmente têm importância em nossa vida... Eu tenho uma filha e um marido maravilhosos, que eu Amo, e que são bençãos que Deus me deu! Eu tenho familiares maravilhosos que eu Amo muito... E tenho amigos maravilhosos que amo muito também...Enfim, tanto pra agradecer ao Senhor! Mas só depois que eu perdi a minha amada sobrinha Júlia, foi que tive a real dimensão da importância de todos eles em minha vida! Todos eles são o que realmente importa pra mim! Todo o restante é secundário...07/2010

Seguidores

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Feliz Natal!!

Imagem extraída do Google
Esta semana perguntei ao meu filho de quem era o Natal. Uma pergunta feita de forma simples, para uma criança.
Ele, em sua inocência, me respondeu que é do Papai Noel. Então expliquei a ele que o Natal é de Jesus, e que Papai Noel traz presentes, porque comemoramos o seu nascimento. Não sei se ele entendeu muito bem, pois só tem quatro anos! Mas não pude deixar de explicar  a quem verdadeiramente pertence o Natal!
Não quero que ele cresça com  uma ideia equivocada: acreditando que o Natal é apenas uma data em que ganhamos presentes.
Tampouco quero lhe tirar a ilusão de menino de quatro anos, que acredita em Papai Noel! Pois a  criança precisa de fantasias, e quando chegar o devido tempo, a vida se encarregará de lhe tirar essas ilusões de menino.
Infelizmente, muitas pessoas crescem e -  ainda que não acreditem em Papai Noel - associam o Natal apenas às coisas materiais, esquecendo do seu real significado.
O Natal é de Jesus! É o dia do nascimento do nosso Salvador!
É o dia em que o Menino-Deus veio até nós, nascendo em uma manjedoura, em toda a sua humildade! Cresceu, levou sua mensagem de fé e redenção à toda humanidade. Foi perseguido e pregado num madeiro.
E através do seu sofrimento e de sua morte, todos os que Nele creem (ou creram) encontra(ra)m a salvação!
Que neste Natal, nos lembremos do aniversariante principal, e da mensagem que Ele nos deixou!
Que ao trocarmos os presentes, nos lembremos que o fazemos porque sentimo-nos felizes, pois nesse dia o nosso Salvador nasceu!
Que a mensagem e o exemplo que Ele nos deixou, norteiem nossas vidas!
Que sejamos capazes de Amar, de perdoar, de ter compaixão. Que sejamos altruístas, ajudando a quem precisar! Que saibamos entender a essência da mensagem  que Ele nos deixou!

"Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o principado está sobre seus ombros; e o seu nome  será Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz."  Isaías 9: 6
Neste Natal... a  Jesus, nosso Salvador -  toda a honra e toda a glória!!

Um Feliz Natal, cheio de paz, alegrias e esperança!
Com carinho...Adelisa.

domingo, 13 de dezembro de 2015

Sobre filhos e renúncias...

Foto tirada em março de 2011 
            Não tenho mais tempo para assistir aos jornais...
Não tenho muito mais tempo para ir à academia.
Não tenho privacidade para ir ao banheiro, porque sempre tenho companhia e plateia... 
Não tomo um banho demorado já faz muito tempo... é uma ensaboada aqui, uma enxaguada ali, e o ouvido atento - para o caso de ter que sair correndo numa emergência!
Não como mais sossegada  já faz muito tempo... Pois muitas vezes tenho que sair no meio da refeição, pra limpar o bumbum do meu filho! 
Minha casa não para arrumada já há alguns anos... É brinquedo na sala, nos quartos, na cozinha e nos banheiros!
Agora: pergunte-me se estou arrependida de ter tido outro filho? De estar desfrutando novamente a maternidade, e com um filho de quatro anos?
De jeito nenhum!! Compensa cada segundo!
Hoje acordei, e ele me chamou lá no seu quarto pra me dar um abraço apertado de bom dia! E vários beijos, um de cada lado da bochecha!
Nessas horas, o meu coração parece "inflar" de tanto Amor!
E eu vejo que compensa cada renúncia que eu faço. Renúncias estas, que são pequeninas, se comparadas a esse Amor tão grande que eu sinto! E que sou plenamente correspondida!
A maternidade, a paternidade, requer renúncias, sim! Requer muita paciência, requer tempo, dedicação e atenção!
Muitas vezes temos que deixar de lado certas coisas que nos davam prazer. Em compensação, recebemos em troca, um Amor sincero, incomparável e incondicional!
Quando meu filho olha pra mim e me diz: "Mamãe, eu te Amo"...
Ou, quando vem até a mim choroso, porque se machucou. E então eu lhe dou um beijinho, e sempre falo: “Vai sarar, em nome de Jesus!”. E como mágica tudo melhora, e ele sai saltitando!
Ou, quando se aninha em meus braços no sofá da sala à noite, pra assistir seus programas prediletos... E dorme em meus braços... Ah! Tudo faz sentido, tudo vale a pena!
E no final das contas - vejo que não há a menor importância, nessas coisas que eu não tenho mais tempo para fazer.
Porque mais importante do que todas essas coisas, é ter o privilégio de sentir o seu Amor. De presenciar a sua alegria - sempre correndo pra lá e pra cá...
E ver os seus olhinhos felizes, brilhando! Sim, porque ele sorri com o olhar...
Isso é o que realmente importa...
         E  já não há mais renúncias... Só Amor!

"Um filho faz o Amor mais forte, os dias mais curtos, as noites mais longas, a conta bancária menor, a casa mais feliz, as roupas mais largas (ou mais apertadas), o passado esquecido, e o futuro digno de ser vivido". 
                                                                                                                                  A.D.

*Este post eu dedico ao meu filho Pedro Olavo, e à minha filha Natália - que já é uma mulher, mas para mim, será sempre minha menina...

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Alienação digital...

Imagem extraída do google
Já há algum tempo, um assunto tem me chamado a atenção; e até me incomodado um pouco.
No último fim de semana, ao assistir à uma reportagem na TV, pude constatar que a situação está ficando grave!
A matéria foi sobre uma mulher, de trinta e poucos anos, que estava totalmente alienada com relação ao mundo real. Ficando conectada, praticamente as vinte e quatro horas do dia. Já não tinha mais, muito contato com mundo real, com suas amigas, e etc...
Infelizmente, tenho observado que a maioria das pessoas não interagem mais umas com as outras.
O mundo virtual está se sobrepondo ao real! E acho isso um horror!
Os celulares, tablets e afins, tomaram o lugar nas conversas. Ninguém mais conversa olhando no olho...
Tenho presenciado cenas realmente tristes de se ver!
Pessoas que saem de férias, e têm a capacidade de ficar teclando em seus celulares à beira da piscina, na praia...
Em vez de se divertirem e desfrutarem de momentos preciosos e únicos, junto de seus familiares.
Já tive o desprazer de conversar com pessoas, quer preferiram teclar em seus celulares, ou tablets, do que me olhar nos olhos ao desfrutar de um bate-papo gostoso!
Ou,  até mesmo situações extremas que vi pela TV: pessoas  andando pelas ruas, e sendo atropeladas por falta de atenção. Pessoas com problemas de postura, porque permanecem o dia todo de cabeça baixa, olhando para a tela.
Fico me perguntando: o que realmente ocorreu com as pessoas, para que se desse tal alienação?
Será que esse mundo virtual é tão melhor que o real?
Creio que seja apenas um mundo ilusório. Onde não se precisa mais olhar olho no olho... 
Onde as pessoas não se “desnudam”, e não mostram seus verdadeiros sentimentos.
Ou, não demonstram verdadeiramente quem são!
Talvez - para alguns - seja melhor viver em um mundo de “faz de conta”.
Porém, eu sinto saudades do tempo que que conversávamos olhando no olho...
Do tempo em que havia cumplicidade e sinceridade nas amizades.
Do tempo em que podíamos fazer amigos num ponto de ônibus, numa fila de banco ou supermercado.
Em que trocávamos não só ideias, mas até receitas, conversando no ônibus...
Enfim, em qualquer lugar em que se estivesse disposto.
Porque naquele tempo, conversávamos de verdade!
Sempre peço a Deus: discernimento, para que não me deixar escravizar por uma tecnologia que foi criada para me auxiliar.
E que nada, absolutamente, nada... substitua o calor que existe num abraço apertado, ou na sinceridade de um olhar...

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Uma segunda chance...


              - Alguém já se sentiu extremamente feliz ao ter uma segunda chance?
                No início da semana passada tive uma segunda chance!
               Nada muito importante em grau de relevância - se comparado a situações que vivi e vivo no meu dia a dia.
               No entanto, essa segunda chance deixou-me extremamente feliz! Meu coração se alegrou naquele momento!
                Aí como sempre, lembrei-me de situações de outrora. Essas sim, com grande impacto sob minha vida!
             Fiquei relembrando com quantas segundas chances Deus me presenteou! E foram muitas!
                Quantas e quantas vezes tive a oportunidade de recomeçar? De fazer de novo, de fazer diferente! De tentar novamente!
                Separei-me no passado, mas tive a oportunidade de casar novamente.
                Voltei a estudar...
                Parei de trabalhar... Pude voltar a trabalhar depois de muito tempo!
               Tive minha primeira filha muito nova, com vinte anos. Tive novamente o privilégio de ser mãe, aos quarenta e seis anos!
                Há uns quinze anos atrás me converti. Aceitei ao Senhor Jesus como meu Salvador.
                 - Esta foi, a meu ver, a maior segunda chance que tive na vida!
                Como diz a Palavra: “as coisas velhas se passaram, eis que tudo se fez novo”!
              Naquele dia – no dia do meu batismo - subi das águas, sabendo que ali, naquele momento, nascia uma nova pessoa. Nascia uma nova Adelisa! Os erros que havia cometido passado, tinham ficado pra trás...  Jesus estava me dando naquele dia, uma nova chance!
               E a partir de então, agarrei-a com “unhas e dentes”. E venho tentando ser uma pessoa melhor a cada dia!
           É claro que sou falha, limitada e às vezes tropeço em meio à caminhada! Porém, sigo tentando!
                Quando erro, peço perdão... Apesar de imperfeita, procuro ser justa e verdadeira em tudo que faço!
                Assim a minha vida segue...
                E com a graça de Deus: com muitas e muitas segundas chances!
                Para recomeçar, para fazer diferente.
                Para fazer o correto.  
                Para fazer melhor!!       

terça-feira, 29 de setembro de 2015

A escrita e eu...

Outro dia senti-me um tanto estranha ao ler meu livro...
Ao ler meus textos, minhas histórias, a impressão que tive era de que se tratava de outra pessoa:  não eu! Que tudo aquilo que ali estava, tinha sido vivenciado por outrem.
Ou, até mesmo, que tudo aquilo havia transcorrido num passado longínquo... Ao qual não pertenço mais!
No entanto, todas as histórias que ali estavam, eram minhas! Minhas histórias, minhas vivências!
Há aproximadamente cinco anos atrás, através de uma grande dor, aflorou em mim a vontade de escrever. E desde então -  a minha escrita é um processo tão natural!  
As palavras fluem, as ideias vão surgindo, despejadas em folhas em branco, como uma espécie de catarse! Pra mim, escrever é terapia, é algo vital, uma necessidade!
Tal qual tenho a necessidade de me expressar ao conversar, assim também é com minha escrita! 
Gosto de muito de falar, conversar, assim como de escrever também. Ambas andam juntas.  Se pararmos para pensar mais a fundo: sempre temos algo a dizer!
Às vezes escrevo porque estou triste, ou frágil, ou desanimada. Outras vezes, porque estou alegre, motivada, entusiasmada, admirada!  Ou, porque observo certas situações que me causam estranheza, surpresa, divertimento ou até indignação.  
A razão não importa! É apenas o “motor de propulsão” que me leva a escrever. O que importa é extravasar os sentimentos!
E assim, vou escrevendo minhas histórias... E sem que eu perceba, ou que me dê conta, lá estou eu, com muitas histórias para contar!
Escrever ajuda-me a seguir em frente. A desabafar o que muitas vezes angustia-me a alma.
Ou extravasar sentimentos tão grandiosos, como o amor ou a alegria - que de tão grandes que são – provocam-me uma vontade imensa de compartilhá-los com outras pessoas!
E ao olhar para trás, ao olhar para as minhas histórias: sinto uma alegria imensa, por saber que em algumas situações, ajudei alguém a seguir em frente também!
As pessoas são únicas, incomparáveis. Algumas são fáceis de lidar. Outras, nem tanto! Porém, sempre temos algo a aprender um com o outro!
E por mais difícil que possa parecer muitas vezes, sempre peço  a Deus: que a alegria, o amor, o carinho, o perdão e a compaixão nunca morram dentro de mim!
Assim o tempo passa! Sigo, vivo e aprendo um pouco mais a cada dia.
Porque a cada situação que observo, a cada nova história que escrevo, uma nova pessoa me torno!
- Senhor Jesus,  faça de mim, independentemente das circunstâncias, uma pessoa melhor!

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

✿ Assim como uma amoreira... ✿

Hoje, em homenagem ao dia da árvore faço uma re-postagem de um texto que escrevi em 2013, sobre a minha amoreira.
Ela sempre inspira-me muito! 
Ontem cheguei de viagem e lá estava ela, carregadinha de amoras maduras! Que coisa linda!
Até a poucos dias atrás, o pé estava "peladinho", sem uma folha sequer!
No entanto, no final de cada inverno, ela sempre se renova, e extrai forças sabe-se lá de onde... 
E então recomeça linda e frondosa a cada primavera.
Que milagre! Assim é o meu frágil pé de amora...
E assim somos nós, com a graça de Deus! 

16 de outubro de 2013
✿ Assim como uma amoreira... ✿
Minha amoreira, meu xodó...
“Porque há esperança para a árvore, pois, mesmo cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus rebentos. Se envelhecer na terra a sua raiz, e no chão morrer o seu tronco ao cheiro das águas brotará, e dará ramos como a planta nova”. (Jó 14:7-9)
... 
- O que conto de novo? Muita coisa!  Separei, comecei a trabalhar, me converti (sou crente), casei de novo, adotei um filho, esses dias escrevi um livro, e agora vou ser vovó! 
- Ah! tenho um blog também! Fiz bastante coisas, né!
...
Foi assim que respondi a um professor de inglês (que a tempos não via, e que me encontrou no Facebook) quando ele me perguntou o que eu tinha pra contar de novo.
Ficamos uns quinze ou vinte anos sem nos falarmos! E aí, quando ele fez a pergunta, foi essa a minha resposta de imediato!
Parando pra pensar, fiz tanta coisa nesses últimos anos! Coisas boas, e coisas ruins... Mas graças a Deus, as boas sempre me mantiveram de pé, e eu fui seguindo em frente! Quanta coisa eu vivi nesses quinze ou vinte anos!! 
Separei-me, e na época me senti completamente perdida... O futuro me assombrava, mas fui à luta: voltei a estudar, comecei a trabalhar, prestei alguns concursos. E  com a ajuda de Deus, consegui passar em alguns!
Conheci a Jesus: essa foi uma das maiores mudanças em minha vida. Literalmente, nasci de novo!
Casei novamente, depois de alguns anos adotei meu filho. Muitos disseram que eu era louca em ter outro filho aos quarenta e seis anos de idade. Se eu estava "louca", essa foi a melhor loucura que fiz!  
Antes disso, comecei a escrever num blog... E agora, escrevi um livro!! Essas foram algumas das coisas que fiz da minha vida!
Outro dia olhei para a minha amoreira (eu tenho um pé de amora no quintal, plantado num vaso grande), e fiquei admirada ao ver como ela deu frutos neste ano!! Até a poucos dias, ela estava completando "pelada", sem folhas.  Então, eu fiz uma poda dos galhos, e de repente as folhas novas começaram a brotar. E depois as flores... E agora ela está cheia de frutos! É incrível, pois está plantada num simples vaso! É um pé pequeno, mas dá frutos enormes e saborosos!!
Penso que às vezes somos como esse pé de amora: nossas "folhas caem", sentimo-nos tristes e desamparados... Mas aí, chega a "primavera", e então "florescemos"! A vida nos presenteia novamente com momentos felizes!
E ao observar o meu pé de amora, eu fiz uma analogia dele com a minha vida: como aquele pé de amora, que um dia perdeu suas folhas, parecendo que iria morrer, que não haveria mais jeito...
Assim é a minha vida, e a vida de todos nós! 
Em certos momentos, as tribulações vêm querendo nos derrubar, e ficamos tristes, deprimidos, desanimados! Perdemos "as folhas" nesses momentos... Como na época da minha separação, em que me senti literalmente perdida... Como quando tive que operar três anos seguidos por causa de um problema de endometriose. Ou, quando entrei na menopausa precocemente, justamente na época em que estava tentando engravidar!
Quando perdi minha sobrinha Júlia, e a dor que senti foi imensurável! 
E em tantos outros momentos, que fizeram parte da minha vida, e que na verdade me fazem ser, quem eu hoje sou!
Mas aí, o tempo passa, Deus nos capacita, nos fortalece, e como o pé de amora na primavera e outono, nós“florescemos e damos frutos”!

...
Há um tempo atrás, logo depois do lançamento do meu livro, minha professora de Pilates olhou pra mim, sorriu e me disse: que vida boa a sua! Adotou um filho, escreveu um livro...!
Graças a Deus, minha vida é boa, sim.  E sou feliz! Mas como disse a ela naquele dia, tive também meus momentos extremamente difíceis... 
E diante deles, coube a mim, decidir entre me prostrar e me entregar. Ou, seguir em frente e superar!
A vida é feita de escolhas, e cabe a nós - assim como faz a cada primavera aquela amoreira com seus galhos secos e sem folhas -  extrair a força necessária, para florescer e frutificar...
Para continuar, e seguir em frente, sempre!

“Situações pra eu parar
Circunstâncias e decepções que eu encontrei na vida
Pra me desanimar
Perseguições pra me derrubar
Mas, o Senhor me deu a direção
Me mostrou a saída
Me fez enxergar
O Teu propósito, o Teu imenso amor
O Teu cuidado, pra Ti eu tenho valor
Não há nada nesse mundo que vai impedir
Os Teus projetos em minha vida irão se cumprir
Eu creio!”       Régis Danese 

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Isso tem realmente importância??

Imagem extraída do Google
Desde ontem, eu estava aqui pensando: o que a vida, o tempo e o sofrimento fazem com a gente!
Nos últimos dias, passei alguns momentos bem desagradáveis. Não digo que difíceis, porque na vida, já passei por coisas muito mais importantes, em grau de relevância!
Estava a pensar que a vida, o tempo e o sofrimento vão nos lapidando  -  como dizem por aí.
Hoje em dia, certas coisas que me amedrontavam, já não me causam o menor medo!
Sei exatamente o grau de importância que devo dar a certos problemas que tenho que enfrentar.
Sim, porque a nossa vida é uma batalha diária. Com desafios, lutas, provações. E só quem não vive verdadeiramente, não passa por isso.
Só que ainda não aprendi muito bem a lidar com as injustiças. Esse tipo de coisa causa-me indignação, tira a minha paz de certa maneira.
Causa-me aquele gosto amargo na boca e uma sensação de impotência! Eu sei que tenho que melhorar neste aspecto, como ser humano.
Nesses momentos, tenho que exercitar a minha fé. Exercitar os dons da temperança, mansidão e domínio próprio.
E, lembrar de tudo o que aprendi com uma linda menininha loira, que partiu prematuramente, aos sete anos de idade...
Com ela, eu aprendi que nada que tenha a ver com o plano material nesta vida, pode se sobrepor ao que realmente importa em nossas vidas: as pessoas, a nossa saúde, nossa paz de espírito!
Aprendi isso, sim!  Porém, muitas vezes torna-se difícil colocar em prática e manter a serenidade.
No entanto, graças ao nosso bom Deus “depois de uma longa noite, o sol sempre volta a brilhar”! Essa realidade, sempre me enche de esperança! E então sigo em frente!
Só peço a Deus que sempre me faça lembrar do que realmente é importante em minha vida!  E que, ainda que eu perca a minha serenidade em certos momentos, eu tenha a capacidade de me refazer, de me superar!
Que eu consiga enxergar, e dar importância ao que - e a quem - realmente merece ter importância!
Que eu continue a deitar com o meu filho no sofá, quase todas as noites, para assistirmos juntos os seus desenhos prediletos: ainda que a minha casa esteja uma bagunça e de pernas para o ar... J
Que eu tenha sempre alegria, prazer e ânimo, no convívio com meus familiares  -  ainda que às vezes, eu chegue cansada e estressada do trabalho! 
Que eu tenha a capacidade de compreender as pessoas, quando também estiverem passando por momentos estressantes e difíceis!
Que eu me lembre sempre de agradecer e falar com Deus todas as manhãs e antes de dormir!
Enfim - isso tudo, sim - é o que realmente importa, o que realmente tem valor, e o que realmente merece toda a minha atenção, nesta vida! 

domingo, 9 de agosto de 2015

Para um pai mais que especial...♥

Hoje a minha homenagem é para um pai mais que especial!
Um pai, que exerce a paternidade independentemente dos laços de sangue, mas através de laços muito maiores: laços de Amor, laços do coração...
Que, mais do que a hereditariedade -  passa  ao nosso filho, seus valores, sua ética, sua dignidade e honestidade.
 Um pai presente, amigo de todas as horas. 
Um pai que com seu exemplo, ensina o nosso filho - dia após dia, a ser uma pessoa de bom caráter, de valor e com fé em Deus!
Um paizão companheiro: que busca na escola, que dá banho, que solta pipa, que ensina a pescar, que joga bola, que assiste junto os desenhos preferidos do nosso "Pitico"! 
Um Feliz dia dos Pais, para melhor pai do mundo! 
Que Deus o abençoe hoje e sempre!

Amamos você, papai Rogério! 
Com Amor... Pedro Olavo e Adelisa.
♥ ♥  ♥ ♥ ♥ 
Assim nasce um pai... 
(texto publicado em agosto de 2011).
Depois de muita oração e de muitas conversas entre você e a mamãe, você tomou a decisão!
E me esperou por mais de dois anos. Eu sei que foi difícil decidir!
Afinal, você se sentia inseguro, pois não sabia se teria a vocação pra ser pai, e se me amaria de verdade como um filho...
Mas como Deus sabe de todas as coisas, Ele permitiu que o tempo fosse se passando, e a ideia e o desejo fossem amadurecendo juntos ao longo desse tempo.
Eu sei, que a insegurança ainda era grande, quando foi me conhecer.
Creio que passava pela sua cabeça: como saberei se é o meu filho?
O dia do nosso primeiro encontro foi um dia de muita ansiedade pra você.
Mas na hora em que nos conhecemos, eu sei que você soube...
Então, eu abri aquele sorriso lindo pra você e pra mamãe, pois eu também sabia que ali estavam os meus pais...
Quando eu cheguei a minha casa, no meu quartinho, eu te vi chorar de emoção olhando pra mim.
Naquela hora, eu tenho certeza que você sentiu que já éramos pai e filho, desde sempre!
E a cada dia, quando você chega ao meu quarto para me dar a primeira mamadeira do dia antes de ir trabalhar, o meu Amor por você só faz crescer...
E quando você chega do trabalho? Que alegria eu sinto!! Quantas saudades... Por isso faço toda aquela folia!!
No dia em que nos conhecemos, no dia 29/03/2010 você nasceu pra mim como Pai...
E hoje papai, eu te desejo um Feliz Dia dos Pais!!
Que Jesus esteja sempre nos abençoando.
Com Amor... Pedrinho.