O que realmente importa...

Minha foto
São Paulo, Brazil
Cheguei ao final do ano de 2009 totalmente estressada e esgotada devido as preocupações do dia-a-dia, com trabalho, estudo, e etc. Na verdade, eu não tinha nenhum problema específico. Apenas, era pessoa ansiosa e preocupada demais com o dia de amanhã. Mas como está na palavra de Deus: "...basta a cada dia o seu mal". Eu precisei passar por um sofrimento muito grande, pra enxergar que na verdade, as minhas preocupações, as minhas ansiedades não mereciam as noites de sono mal dormidas, a depressão que estava querendo tomar conta de mim! Sem querer negligenciar todo resto, eu aprendi que nada nesta vida tem realmente importância, a não ser, a vida daqueles que amamos...estes sim, são o que realmente têm importância em nossa vida... Eu tenho uma filha e um marido maravilhosos, que eu Amo, e que são bençãos que Deus me deu! Eu tenho familiares maravilhosos que eu Amo muito... E tenho amigos maravilhosos que amo muito também...Enfim, tanto pra agradecer ao Senhor! Mas só depois que eu perdi a minha amada sobrinha Júlia, foi que tive a real dimensão da importância de todos eles em minha vida! Todos eles são o que realmente importa pra mim! Todo o restante é secundário...07/2010

Seguidores

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Honestidade... adjetivo raro hoje em dia??

Imagem extraída do google
 "De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos do maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto."

          Este pensamento de Rui Barbosa é atualíssimo, apesar de ter sido escrito em março de 1921. E certamente, ele estaria se “revirando no túmulo” se pudesse ver como a injustiça e desonestidade cresceram  ainda mais, de lá pra cá... J
Infelizmente a "lei de Gerson", que é aquela em que o mais esperto sempre tira vantagem sobre os demais,  tem prevalecido. É triste, mas na maioria das vezes é assim que acontece!
Eu sempre fui criada em um ambiente em que a honestidade é algo primordial. Caráter, dignidade e ética sempre embasaram   a educação que tive dos meus pais.
Procurei passar isso para minha filha mais velha. E hoje, procuro passar os mesmos valores para o meu caçulinha.
Quantas vezes alguém me deu um troco errado (a mais), e eu voltei para devolver! Em alguns casos, eu pude notar que a pessoa ficou até espantada.
Só pra ilustrar: neste fim de ano fomos para a praia logo depois do Natal e na hora do check out no hotel, eu notei que a dona do hotel (que já é uma senhora idosa) não havia cobrado vários itens que havíamos consumido. Como sou organizada nessa parte, fiz questão de conferir e pagar o que me era devido. Ela agradeceu e me disse que é raro hoje em dia encontrar pessoas assim.
Eu fico inconformada ao pensar que a ética e o bom caráter são adjetivos raros  nos dias atuais. É triste...
Fico pensando: será que essas mesmas pessoas que praticam atos desonestos; que levam vantagem sobre os demais e que muitas vezes se vangloriam de sua esperteza, têm o privilégio de deitar e descansar em seu travesseiro e ter um sono tranquilo?
Se houver algum resquício de honestidade, a consciência certamente vai "doer". Nesse caso, ainda resta uma esperança!
A grande "tragédia" ocorre quando a pessoa já tem a consciência amortecida, quando não há nenhum sentimento de moral e ética. Quando não há mais qualquer arrependimento.
Quando, o levar vantagem, o mentir se tornam naturais e corriqueiros. Isso é trágico e triste...
E parafraseando Madre Tereza de Calcutá,  é preciso que nos lembremos sempre, que em nossos relacionamentos e em nossas ações:  "nunca é entre nós e as outras pessoas; mas sim, entre nós e Deus!".
Graças a Deus eu posso dizer que quando deito e recosto a minha cabeça no travesseiro, eu durmo com a consciência tranquila!
E isso, vale mais do que qualquer dinheiro do mundo. Não tem preço!

2 comentários:

  1. Valdir Agostinho de Oliveira10 de janeiro de 2014 18:59

    Adelisa, penso como você e sempre me coloco de forma a agir honestamente. Não é fácil, visto a realidade social em que vivemos.

    A discussão é longa e profunda, exige muita reflexão, e pouca gente quer refletir, pensar, discernir; quer agora e não importa como.

    A banalidade da desonestidade e do crime, a falta de educação e bom senso, incomoda bastante. Quando sobrinhos ou filhos nos chegam dizendo que "fulano também fez” nos deparamos com um desafio de explicar o conceito de honestidade para eles, onde os limites do certo e do errado parecem estar embaralhados para muita gente

    Quando as pessoas usam o "exemplo" de líderes para justificar os seus pequenos atos desonestos percebemos a dificuldade de nos mantermos firmes em nossa escolha. Usando suas letras, ser honesto vale mais do que qualquer dinheiro no mundo. No entanto, para muita gente é um conceito abstrato, numa realidade social que valoriza apenas o ter, a fama, o palpável, o agora.

    Apesar disso, sim, “é preciso ter raça, é preciso ter garra, é preciso ter gana sempre”. Ainda há muita gente honesta no mundo. Ser correto vale a pena, pois nada paga uma consciência tranquila, mesmo diante de nossas limitações, mesmo diante da estranheza de alguns.

    ResponderExcluir
  2. Gostei do post. Honestidade é tudo.
    Abraços.

    ResponderExcluir

Olá! Seu comentário me deixa muito feliz! Responderei assim que possível em seu blog ou e-mail.