O que realmente importa...

Minha foto
São Paulo, Brazil
Cheguei ao final do ano de 2009 totalmente estressada e esgotada devido as preocupações do dia-a-dia, com trabalho, estudo, e etc. Na verdade, eu não tinha nenhum problema específico. Apenas, era pessoa ansiosa e preocupada demais com o dia de amanhã. Mas como está na palavra de Deus: "...basta a cada dia o seu mal". Eu precisei passar por um sofrimento muito grande, pra enxergar que na verdade, as minhas preocupações, as minhas ansiedades não mereciam as noites de sono mal dormidas, a depressão que estava querendo tomar conta de mim! Sem querer negligenciar todo resto, eu aprendi que nada nesta vida tem realmente importância, a não ser, a vida daqueles que amamos...estes sim, são o que realmente têm importância em nossa vida... Eu tenho uma filha e um marido maravilhosos, que eu Amo, e que são bençãos que Deus me deu! Eu tenho familiares maravilhosos que eu Amo muito... E tenho amigos maravilhosos que amo muito também...Enfim, tanto pra agradecer ao Senhor! Mas só depois que eu perdi a minha amada sobrinha Júlia, foi que tive a real dimensão da importância de todos eles em minha vida! Todos eles são o que realmente importa pra mim! Todo o restante é secundário...07/2010

Seguidores

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Quem nunca fez um programa de índio?

Imagem extraída do Google
Por sugestão de um colega de trabalho (de que essa minha história daria um bom blog), hoje resolvi escrever a respeito de um episódio tragicômico que vivi há mais ou menos 15 anos atrás. 
Sempre gostei de viajar, e na época, eu e minha família fomos para Natal/RN a passeio.

Num dos dias, fomos conhecer a praia da Pipa, que na época era praticamente um santuário ecológico, onde poderíamos avistar golfinhos.

Fomos de bugue até a praia de onde sairíamos para um passeio de escuna.

O tempo estava nublado, mas nada que pudesse nos causar preocupação.

Quando chegamos estávamos muito entusiasmados, e logo embarcamos na escuna.

Ela era meio antiga, mas estava bem cuidada, pintada de azul e branco. Na hora, ninguém se lembrou de verificar os itens de segurança, tais como: coletes salva-vidas, botes, etc.

Saímos todos felizes com a esperança de avistar os golfinhos!

Mais ou menos depois de uma hora de viagem, de repente a escuna parou. Achamos que era por causa dos golfinhos. Mas o responsável pela embarcação nos avisou que havia um problema com o motor.

Pra ajudar, o tempo começou a fechar, e foi-se armando o maior temporal.

Um dos tripulantes da escuna nos disse que iria até a costa pra buscar um barco pra nos resgatar. O detalhe é que já estávamos tão longe de onde partimos, que não dava mais pra avistar a praia.

Eu pensei que ele pegaria um bote, e iria até a costa. Mas para minha surpresa, ele simplesmente mergulhou no mar e saiu nadando... Fiquei boquiaberta ao me deparar com tal cena!
Foi aí que minha ficha caiu: nós não havíamos nos certificado sobre nenhum item de segurança!
Nos encontrávamos em alto mar, totalmente à deriva.
Como se não bastasse, eu comecei a ficar apertada com vontade de ir ao banheiro. Aí, perguntei a outro tripulante onde ficava o banheiro. 
Para meu espanto, ele me respondeu: - Dona, aqui não tem banheiro não. Se quiser, tem que ficar na escadinha, e fazer por ali mesmo... ☺
Segurei o mais que pude, mas chegou um ponto em que não aguentei mais! Então, lá fui eu pra escadinha, com aquele balanço do mar (que a essa altura já estava bem agitado por causa do temporal que se formava).
Fiquei lá, segurando pra não cair, e fiz meu xixi em alto mar! Foi uma emoção indescritível,  podem ter certeza! ☺
Depois de um tempo (já estávamos há mais de 2 horas no mar), a maioria das pessoas começou a enjoar. Minha cabeça girava e eu estava ficando toda amarela...  Então, eles pegavam baldes de água do mar e jogavam na gente pra melhorar.
Enquanto isso, a escuna chacoalhava cada vez mais. A impressão que tínhamos é que ela iria virar.
Depois de um tempão, o tripulante voltou com o tal barco: que na verdade não era um barco, mas sim uma jangada sem vela (pra mim aquilo parecia apenas uma prancha de madeira...).
Já fiquei imaginando os tubarões devorando as nossas pernas, pois todos teriam que ir sentados com as pernas pra fora...
As ondas estavam enormes!
 A impressão que tinha, é que seríamos engolidos por elas assim que sentássemos na jangada.
Mas, com a graça de Deus, a jangada navegou por cima das ondas, e finalmente chegamos a uma praia.
Estávamos bem longe de onde  havíamos saído (onde o bugueiro nos esperava).
Então, o responsável nos disse que teríamos que subir um morro da praia até uma estrada, e lá uma "besta" estaria nos esperando pra retornarmos ao nosso ponto de partida.
Pra encerrar a história com chave de ouro, a "besta" (que eu pensava que era uma dessas vans, tipo Topic), na verdade era um caminhãozinho bem fuleiro! 
E lá fomos nós, na
boleia do caminhão, pra chegar ao nosso destino... ☺
Esse foi um dos maiores programas de índio que já fiz! E olha que já tive muitos...
Mas, depois de tudo isso que passamos, essa história em primeiro lugar me serviu de lição pra ser mais prudente: quando vou andar de barco, de escuna, sempre verifico tudo que esqueci naquele dia.
E serve também pra me divertir! Porque venhamos e convenhamos: no dia,  foi meio trágico, mas hoje quando lembro de tudo dou boas risadas! 
E aí eu me pergunto:  quem, em algum momento de sua vida, nunca fez um programa índio?! ☺

17 comentários:

  1. Muito boa mesmo esta história. Mesmo já a conhecendo ainda consegui dar muitas risadas, tinha esquecido do fretamento final.

    Danilo

    ResponderExcluir
  2. rsssss...Essas coisas aconteeeeeeeeeeecem, realmente. Depois ficam engraçadas,na hora, nem tanto,né?rs beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Hehehehehehehehehehe cê tá maluca! Eu que não ando nunca mais de escuna! Hehehehehehehe, e juro que eu achei que a besta era um jumento que ia levar vcs no lombo! Hehehehehehehehehhehehehe.

    ResponderExcluir
  4. Amei sua história!!!! me identifiquei muito com ela...esses programas são sempre os melhores, de minha parte, amo o contato direto com a natureza, amo improvisar, e acho que as melhores sensações da vida, estão exatamente na simplicidade e nos momentos inusitados que ela nos proporciona...Glória a Deus por isso!!! bjks

    ResponderExcluir
  5. OI ADELISA!
    TAMBÉM ACHEI MUITO ENGRAÇADO, MAS, SE FOSSE COMIGO, TERIA ME APAVORADO COM TODA A CERTEZA.
    TODOS TEMOS UM PROGRAMA DE ÍNDIO NA VIDA E APÓS ALGUM TEMPO PASSA A SER ENGRAÇADO MESMO QUE NA OCASIÃO NÃO TENHA SIDO NADA BOM.
    ABRÇS
    http zilanicelia.blogspot.com.br/ClickAQUI://

    ResponderExcluir
  6. Olá, parabéns pelo blog!
    Se você puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
  7. Querida amiga Adelisa!

    Perdoa-me invadir seu espaço, mas temos amigos comuns. Seu Blog. é lindo, bem como, maravilhosos seus textos. Gostei muito. Está de parabéns. Já sou seu seguidor.
    Beijos de luz !!!

    POETA CIGANO – 05/01/2013

    http://carlosrimolo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Conheci o seu blog através do Verdades e Bobagens (Andre) e confesso que gostei muito! Achei sua história muito legal. Estou te seguindo e gostaria de te convidar a conhecer o meu blog também!!
    jorge-menteaberta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Este foi realmente “Um Programão de Índio”, e que aventura.
    Adorei o Blog, e certamente voltarei muitas vezes.
    Convido a você para conhecer o meu Blog :)
    Beijos Márcia (Rio de Janeiro)

    http://decolherpracolher.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Querida amiga Adelisa! Tem um SELINHO de
    20013, para você.
    É apenas um símbolo de nossa amizade
    Que hora se inicia.
    Basta ir ao “campo” no lado direito do
    Meu Blog. e o achará em “selos para
    Os amigos”. Não tem códigos, basta salvar
    Em seus arquivos e colá-lo no “Campo imagem”
    Do Layout do seu Blog.
    “ESTE BLOG. É OURO”, é o título deste novo
    Selinho. Obrigado por ser minha amiga.
    Beijos de luz!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    POETA CIGANO – 10/01/2013

    “Poesias do Poeta Cigano”

    http://carlosrimolo.blogspot.com


    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Minha internet ontem estava uma droga, por esta razão não consegui ser sua seguidora... Acho que foi por causa da chuva?
    As postagens em meu BLOG são diárias, e sempre que quiser dê uma passadinha por lá.
    É um prazer ter a sua companhia, eu com toda certeza virei sempre te fazer uma visita também porque agora já estou te seguindo.
    Beijos Márcia (Rio de Janeiro)

    http://decolherpracolher.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oi querida,

    Tudo bem? Gostei do programa de índio. E já passei por algo semelhante, mas valeu a aprendizagem. E claro as boas risadas!

    Fique com Deus e beijos.

    ResponderExcluir
  13. Adoooro!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Realmente foi de Índio, é drama e comédia ao mesmo tempo...
    Medo, desa escuna doida...

    Juliana Parizotto.

    ResponderExcluir
  14. oi estou te visitando e te seguindo.Gostei do blog e te aguardo no meu.tania Mara

    www.fuxikitosecia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Nossa muito bom o blog to curtindo muito

    ResponderExcluir
  16. OI ADELISA!
    VOLTANDO PARA TE DESEJAR UM BELO FIM DE SEMANA.
    ABRÇS
    http zilanicelia.blogspot.com.br/ClickAQUI://

    ResponderExcluir
  17. PARABÉNS, MUITO BOM! A simplicidade nunca fica sozinha. Mãos que pensam, pés que enxergam! Chacattis Tadadota. Nossa homenagem aos blogueiros: http://poolbusinesses.wordpress.com/blogosfera-homenagem-aos-blogueiros/?preview=true&preview_id=418&preview_nonce=02111fc522

    ResponderExcluir

Olá! Seu comentário me deixa muito feliz! Responderei assim que possível em seu blog ou e-mail.